Sem academia particular, Marcola “murcha” músculos em presídio federal

O 01 da facção criminosa Primeiro Comanda da Capital (PCC) faz exercício aeróbicos na companhia de Sérgio de Arruda Quintiliano, o Minotauro

Líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, tenta manter o foco e o preparo físico mesmo submetido ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD),  na Penitenciária Federal de Brasília, unidade de segurança máxima instalada em São Sebastião, desde 22 de março de 2019.

Antes de desembarcar em Brasília, o 01 da facção injetava esteroides e malhava com a ajuda de pesos e aparelhos de musculação para ganhar músculos. Com a rigidez do sistema, o preso de alta periculosidade mantém a forma fazendo exercícios aeróbicos e utilizando o peso do próprio corpo, como flexões de braços.

O primeiro na hierarquia do PCC costuma malhar na companhia de Sérgio de Arruda Quintiliano, o Minotauro. Ao contrário do chefe, bem mais magro, o outro condenado faz jus ao nome. Alto e musculoso, Minotauro era conhecido pela violência quando estava em liberdade.

Na primeira refeição do dia, os chefes da facção comem pão, manteiga ou queijo, leite e café com açúcar. No lanche da manhã é servido uma fruta da estação e no almoço, a refeição conta com arroz ou macarrão e vegetais, feijão, carne branca ou vermelha, além de legumes e salada.

No lanche da tarde é servido biscoito doce ou salgado, margarina ou bolo e suco. No jantar repete-se o cardápio do almoço e na ceia é servido pão, margarina e leite. Metropole