Polícia prende integrantes de quadrilha que comprou 700 kg de maconha de dentro do presídio

Após 40 dias de investigações, policiais do SIG (Setor de Investigações Gerais) prenderam duas pessoas nesta segunda-feira (31) em Dourados, cidade a 225 km da Capital, integrantes de uma quadrilha que abastecia pontos de venda de drogas na cidade. Ao todo 700 kg de maconha foram apreendidos, e o entorpecente era comprado por presidiários.

Com ajuda de pessoas contratadas por internos do sistema penitenciário, a droga era distribuída nas chamadas “bocas”. Antes, o entorpecente era descarregado na zona rural da cidade, local que servia de entreposto para o armazenamento.

Durante a madrugada, as equipes monitoravam os investigados e se depararam com um veículo que passou por uma estrada fora da área urbana, e retornou cerca de uma hora depois. Em acompanhamento, constataram que o carro estacionou em uma casa do Bairro Jóquei Clube.

Enquanto isso, outra equipe permaneceu no local suspeito de funcionar como entreposto para distribuição da droga, próximo ao Bairro Explanada, e abordou um Fiat Uno carregado com fardos de maconha.

O motorista do Uno confessou que tinha sido contratado para levar a droga de um canavial até a residência, no Bairro Jóquei Clube, e que outro carro estava participando do transporte. Contudo, ele não identificou a marca nem modelo.

Chegando ao local apontado pelo motorista, os policiais encontraram mais seis fardos de maconha. Em seguida, se dirigiram até a residência onde o veículo teria parado, mas não estava mais no local. Da parte de fora do imóvel, os investigadores avistaram um cômodo com fardos da mesma embalagem da substância encontrada no Uno.

Ao entrarem na casa, os policiais encontraram um homem, egresso do sistema prisional, com 18 fardos do entorpecente. Ele afirmou que apenas guardava a droga, e não informou quem era o proprietário. Os três foram presos em flagrante por tráfico de drogas e, após pesagem, totalizaram 775 kg de maconha em 36 fardos. Midiamax