Mulher conhecida como ‘primeira dama’ do PCC é presa em Parauapebas

Mulher é acusada de matar um adversário em agosto do ano passado

Divulgação Polícia Civil

Segundo a polícia de Parauapebas, no sudeste do Estado, Bruna Izaura de Medeiros Araújo, também conhecida como a “Primeira Dama”, é acusada de participação no assassinato de Ítalo Rodrigues da Silva, em 29 de agosto de 2019. Ela seria integrante da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), e teria ajudado no planejamento do homicídio do adversário, considerado integrante do Comando Vermelho (CV).

Nesta quinta-feira (16), a Polícia Civil deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara Criminal de Parauapebas contra Bruna Izaura. De acordo com a polícia, Ítalo Silva foi morto com três tiros na porta da casa dele, na rua Jorge Amado, no bairro Caetanópolis. Os tiros acertaram o rosto, o ombro e a barriga da vítima, morta por causa da richa entre as duas facções criminosas.

A delegada Yanna Kaline de Azevedo, da Divisão de Homicídios da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, informou que a motocicleta que levava os dois homicidas era pilotada por Paulo Henrique da Silva Reis, preso pela Polícia Civil na última segunda-feira (13).

Ainda segundo a polícia, Bruna Izaura recebeu o apelido de ”Primeira Dama” em razão do romance mantido com um dos líderes do PCC em Parauapebas, Willas Ramon Soares Sousa, o “Boneco da Nike”, preso anteriormente.