‘Bebezão’, líder do PCC na fronteira, é condenado a mais de 30 anos de prisão

Após denúncia do MPF (Ministério Público Federal) em Ponta Porã, a Justiça Federal condenou Weslley Neres dos Santos, conhecido como “Bebê”, a 33 anos e 4 meses de prisão por integrar e comandar organização criminosa internacional, além de tráfico internacional de drogas.

Segundo o MPF, Weslley assumiu o comando da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) na região de fronteira entre Mato Grosso do Sul e Pedro Juan Caballero, no Paraguai, após a prisão de Giovanni Barbosa da Silva, o “Bonitão”, em janeiro de 2021.

Ainda conforme a acusação, ele passou a ser formalmente investigado pela Polícia Federal em outubro de 2020, quando foi abordado conduzindo uma camionete relacionada a Giovanni, foragido à época. No veículo, foi encontrado o passaporte de uma das namoradas do rapaz, além de constar um telefone pareado no sistema multimídia do carro.

“Bebezão”: líder do PCC é preso em operação no Paraguai con armas y parceros da mafia Reprodução/Senad/

Foi encontrada, ainda, uma significativa quantia em dinheiro.

Outro fato que somou à comprovação da participação de Weslley na facção foram as interceptações telefônicas realizadas nos celulares de Giovanni. Havia uma série de conversas travadas entre os dois relacionando atividades relativas ao tráfico de drogas e à rotina da facção criminosa, inclusive com o envio de fotos e selfies por parte do rapaz condenado.

Weslley foi preso em março de 2021, em Pedro Juan Caballero, junto com outras pessoas ligadas ao PCC, de posse de fuzis, munições de alto calibre e colete balístico, além de diversos veículos e aparelhos celulares. DOURADOS NEWS