A INVESTIGAÇÃO INDICA QUE A PSICÓLOGA FOI LEVADA À FORÇA PARA O MOTEL E DEPOIS MORTA COM 28 FACADAS

.

PEDRO JUAN CABALLERO. 

Uma das hipóteses mais fortes que os pesquisadores manejam em relação ao horrendo assassinato de uma psicóloga profissional de Pedro Juan Caballero, é que depois de ter saído de sua casa ontem para atender um paciente e ele, em circunstâncias desconhecidas, teria reduzido à força e levado a o motel onde mais tarde – com crueldade ele acabou com sua vida. A perícia forense revelou que a vítima recebeu um total de 28 facadas em diferentes partes do corpo. Posteriormente, o autor retirou-se, levando o veículo e os pertences da vítima.
Os primeiros resultados da investigação sugerem que Juana Elva Rojas de Cáceres, 64, psicóloga e ex-professora, teria sido assassinada por um suposto “paciente” com a qual aparentemente tinha uma consulta marcada para ontem.
Por razões que até agora são desconhecidas, o chamado “paciente” teria reduzido à força a sua vítima e no próprio carro da mulher chegou ao motel Pimienta por volta das 19h00, saindo apenas um tempo depois de pagar uma parte. da estadia e dizer que voltaria esta manhã para encontrá-lo e pagar o resto da conta.
Porém, como o homem não apareceu novamente e após insistir por alguns minutos em bater na porta, o gerente do motel abriu o quarto e encontrou a infeliz deitada no chão, sem vida, aos pés da cama, em um enorme poça de sangue.
A perícia forense a cargo do médico Gustavo Galeano constatou que o falecido apresentava uma rigidez cadavérica de aproximadamente 12 horas e um total de 28 facadas de faca em diferentes partes do corpo; tórax, peito, costas, rosto e cortes nas mãos, o que deixa em aberto a presunção de que houve uma luta forte entre a vítima, em seu desespero para se defender, do seu agressor.