Frontera

Países do Mercosul terão rótulo frontal de alerta em alimentos

Proposta brasileira foi assinada na sexta-feira (15) em reunião de Ministros da Saúde; objetivo é deixar claro níveis de açúcar, sódio e gordura dos alimentos

Os países do Mercosul – Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela (suspensa no momento) – assinaram um acordo que exige que os rótulos sejam exibidos na parte frontal dos produtos alimentícios.

A medida foi proposta pelo governo brasileiro e assinada na última sexta-feira (15) na 42ª Reunião Ordinária de Ministros de Saúde do Mercosul, em Assunção, no Paraguai.

O encontro tem o objetivo de tratar temas como segurança alimentar, acesso universal à saúde, medicamentos essenciais, tabagismo e migração.

Segundo o ministério, a medida tornará mais clara o entendimento sobre a quantidade de açúcar, sódio e gordura nos alimentos, que estão associados a doenças crônicas, como diabetes e hipertensão.

A proposta ainda determina que o rótulo alerte sobre conteúdos excessivos desses nutrientes e estabeleça um limite máximo para seu uso em alimentos.

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, afirmou, por meio de comunicado, que o rótulo frontal é uma ferramenta contra a obesidade. “Temos uma preocupação crescente com o aumento da obesidade e de doenças crônicas. Queremos dar, assim, condições para que as pessoas possam fazer escolhas melhores e mais saudáveis”.

A medida considerou o crescimento do sobrepeso e da obesidade em todos os grupos etários, que hoje afetam os países do Mercosul. Dados da Vigitel 2017 mostram que 54% da população brasileira está com excesso de peso e 18,9% está obesa.

O Brasil apresentou uma proposta de nova rotulagem de alimentos e acordo com a indústria alimentícia para a redução de açúcar em alimentos ultraprocessados durante a Assembleia Mundial da Saúde em maio, na Suíça.

A discussão de um novo modelo de rotulagem está sendo conduzida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O Ministério da Saúde informou que o incentivo para uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas é prioridade do governo federal.

Segundo o ministério, durante o Encontro Regional para Enfrentamento da Obesidade Infantil, realizado em março, em Brasília, o país assumiu o compromisso de deter o crescimento da obesidade na população adulta até 2019.

O ministério afirma que, em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA), já conseguiu retirar mais de 17 mil toneladas de sódio dos alimentos processados em quatro anos. R7


(“A crise consiste no fato de que o velho está morrendo e o novo ainda não pode nascer”)
www.capitanbado.com
Anuncie. 06 MESES E PAGUE 04.
MSG AO +595 984 202944

Comentarios

Más popular

Arriba