Otros

Video: Igreja é vandalizada durante passeata em apoio a Haddad em São Paulo

Um templo da Igreja Universal do Reino de Deus em São Paulo (SP) foi vandalizado por opositores ao candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). Os termos “Estado laico” e “Ele não” foram pichados na parede de uma das filiais da denominação liderada pelo bispo Edir Macedo.

O episódio foi registrado no último sábado, 20 de outubro, na filial da Universal no bairro da Bela Vista. Um grupo de manifestantes fazia uma passeata em apoio a Fernando Haddad (PT) e alguns indivíduos decidiram pichar o templo, por volta das 19h00.

“Militantes de diversos partidos políticos, entre eles PSOL e PT, mostravam-se revoltados contra o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e, também, contra a Igreja Universal. Durante toda a mobilização, além das pichações nos muros da Igreja, os militantes proferiram, em voz alta, palavras de baixo calão contra o Bispo Edir Macedo”, informou o site oficial da denominação.

Coincidentemente, essa postura agressiva contra a Igreja Universal foi registrada após as declarações de Fernando Haddad sobre um suposto plano de Edir Macedo em transformar a Universal em “igreja oficial” do Brasil, e por isso, o líder neopentecostal teria declarado voto em Jair Bolsonaro.

O pastor Amenon Trento, responsável pelo templo, contou que acontecia uma reunião no momento da passeata,e os fiéis foram surpreendidos pelos palavrões contra a denominação e seu fundador: “Se exaltaram e subiram na grade da Igreja. Passaram a pichar os muros, de forma que tivemos que tomar providências rapidamente e fechar as portas para que as pessoas que participavam do culto não fossem prejudicadas ainda mais, pois já haviam sofrido abalo psicológico”, explicou.

Confira, no vídeo abaixo, uma parte dos manifestantes gritando palavras de ordem contra a Igreja Universal e o bispo Edir Macedo:

Fonte: Gospel Mais

Bolsonaro

Haddad

Mais sobre Haddad:
(EP. 1) Haddad – O Monopólio
(EP. 2) Haddad – O Monopólio
Documentário

Comentarios

Más popular

Hasta arriba