Otros

MPF vai cobrar R$ 1 bilhão de dono da JBS por ocultar crimes em delação

MPF vai cobrar R$ 1 bilhão de dono da JBS por ocultar crimes em delação

O procurador do MPF (Ministério Público Federal), Ivan Marx, responsável pela Operação Bullish, que mira negócios da JBS com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) afirmou que pretende apresentar uma denúncia contra o empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, por delitos escondidos da delação premiada assinada com o procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Segundo Marx, Joesley teria praticado crimes no BNDES que prejudicaram o erário. Apesar do empresário ter obtido imunidade após fechar acordo de delação com a PGR (Procuradoria-Geral da República), o procurador pretende cobrar R$ 1 bilhão a mais do grupo J&F, holding que controla a JBS, como multa pelos prejuízos.

“A Bullish apontou mais de R$ 1 bilhão de problemas em contratos. OS executivos vão lá, fazem uma delação, conseguem imunidade e agora não querem responder à investigação”, disse Ivan Marx em entrevista ao jornal Estadão.

A J&F foi beneficiada com R$ 10,63 bilhões de aportes do BNDES, entre 2005 e 2014, se tornando líder mundial no ramo da proteína animal. Executivos do grupo afirmam que as operações junto ao banco foram facilitadas pelo ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega.

SAIBA MAIS
MPF homologa acordo de multa de R$ 10,3 bilhões por crimes da JBS
Senado rejeita urgência para projeto que acaba com sigilo no BNDES
JBS admite que também não cumpriu acordo de incentivos em Campo Grande
Segundo Marx, os crimes praticados pela JBS estão “muito bem detalhados” pela operação, e planeja processar tanto os gestores do BNDES quando o grupo frigorífico. “O BNDES não fez isso sozinho. Foi sempre por demanda deles [JBS]”, afirmou o procurador.

As delações da JBS e seus executivos deram origem à denúncia de corrupção passiva apresentada pela PGR contra o presidente Michel Temer (PMDB), que foi arquivada na Câmara dos Deputados. Janot, entretanto, pretende apresentar mais uma denúncia contra o presidente com base na delação, de obstrução da Justiça e organização criminosa.

Outro lado
“A J&F esclarece que no acordo firmado com Procuradoria Geral da República, os colaboradores da J&F firmaram um compromisso com a verdade. Os colaboradores já apresentaram grande número de informações e provas à PGR e em atendimento aos demais ofícios do MP, que estão sendo tratados dentro dos trâmites legais. Os colaboradores continuam à disposição para cooperar com a Justiça.”

Comentarios

Más popular

Hasta arriba