Otros

Em 1º evento no exterior, Bolsonaro quer recuperar confiança no Brasil

Em 1º evento no exterior, Bolsonaro quer recuperar confiança no Brasil

Jair Bolsonaro desembarcou na Suíça nesta segunda-feira (21) para participar do Fórum Econômico Mundial – Crédito: Alan Santos/Presidência da República

Há 22 dias no comando do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro fará nesta terça-feira, dia 22 de janeiro, sua estreia em um evento internacional, discursando na sessão plenária do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. O encontro anual dos mais ricos, poderosos e famosos do planeta começa nesta terça e se encerra na sexta-feira (25).

O fórum de Davos reúne políticos, investidores e outras lideranças com o objetivo de construir uma agenda econômica, regional e industrial em comum. O encontro deste ano tem como tema a «Globalização 4.0: Moldando uma arquitetura global na era da quarta revolução industrial».

De acordo com a assessoria do Planalto, o presidente brasileiro será o primeiro chefe de Estado latino-americano a discursar na abertura da sessão plenária do Fórum Econômico Mundial. A fala de Bolsonaro está prevista para ocorrer a partir das 12h30 (horário de Brasília).

Ao desembarcar nesta segunda-feira (21) em Davos, o presidente afirmou que fará um discurso «muito curto» e «objetivo» para dizer que o Brasil busca negócios «sem viés ideológico».

Bolsonaro e a comitiva brasileira devem retornar a Brasília na sexta-feira (25). Neste período em que o presidente está fora do país, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, está no comando do Planalto.

O presidente viajou à Suíça acompanhado do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e de cinco ministros:

Ernesto Araújo (Relações Exteriores)

Paulo Guedes (Economia)

Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública)

Gustavo Bebianno (Secretaria Geral da Presidência)

Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)

Jair Bolsonaro é o quinto presidente brasileiro a participar do Fórum Econômico Mundial desde 1998. Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (1998), Luiz Inácio Lula da Silva (2003, 2005 e 2007), Dilma Rousseff (2014) e Michel Temer (2018) estiveram no encontro durante seus mandatos.

Recados ao mundo

O presidente da República afirmou que deseja mostrar aos participantes do fórum econômico que o governo dele está adotando medidas para recuperar a «confiança» no Brasil, com negócios «sem viés ideológico».

“[O discurso] foi feito e corrigido por vários ministros para que déssemos o recado mais amplo possível sobre o novo Brasil que se apresenta com a nossa chegada ao poder”, declarou Bolsonaro aos jornalistas ao chegar a Davos.

Bolsonaro pretende usar a viagem à Suíça para defender a democracia e ressaltar a importância de aprovar reformas estruturantes no Brasil. Ele irá enfatizar à comunidade internacional que a aprovação de reformas, como a da Previdência, é essencial para o equilíbrio das contas públicas.

O presidente quer destacar ao mundo que o Brasil é um país favorável às privatizações e aberto a investimentos privados.

Regime Nicolás Maduro

A situação da Venezuela também está na pauta de Bolsonaro em Davos. O presidente deve participar na quarta-feira (23) de um «diálogo diplomático» que tem como objetivo discutir a “crise humanitária” no país sul-americano.

Na segunda-feira, Bolsonaro disse esperar que mude «rapidamente» o governo da Venezuela, comandado por Nicolás Maduro.

O brasileiro se reuniu na semana passada, em Brasília, com opositores de Maduro, a fim de aumentar a pressão contra o governo venezuelano. Maduro tomou posse em janeiro para um segundo mandato de cinco anos como presidente. Parte da comunidade internacional não reconhece o novo mandato do chefe de Estado venezuelano, e entre esses países está o Brasil.

Comentarios

Más popular

Hasta arriba