Otros

Ato de heroísmo, Policiais Militares de Sanga Puitã

Após ato de heroísmo, Policiais Militares de Sanga Puitã conseguem salvar vida de idosa atacada por abelhas
Idosa havia entrado em choque anafilático e estava desacordada devido ao ataque

Ponta Porã (MS) – Na tarde desta terça-feira (08/01), o senhor V.A.S. (54) foi até o Grupamento da Polícia Militar em Sanga Puitã e relatou aos policiais que estava roçando um terreno próximo dali e, sem perceber, passou com o trator em cima de uma colmeia de abelhas. Em seguida, V.A.S. percebeu que as abelhas começaram a sair da colmeia e o atacar.

Desta maneira, o mesmo abandonou seu trator e saiu correndo a pé em busca de socorro, chegando até à sede da Polícia Militar em Sanga Puitã para pedir apoio, pois percebeu que na residência ao lado da qual V.A.S. trabalhava haviam algumas pessoas que também foram atacadas pelas abelhas.

V.A.S. relatou, também, que nessa residência havia uma senhora cadeirante que não havia conseguido sair do local.

Após ouvirem os relatos do comunicante, os Policiais Militares entraram em contato com o Corpo de Bombeiros de Ponta Porã e informaram o ocorrido. Em seguida, foram até o local mencionado pelo comunicante e localizaram a senhora cadeirante, posteriormente identificada como L.G. (81), a qual já encontrava-se desacordada devido ao ataque das abelhas.

Sem medir esforços, os policiais desceram da viatura e saíram correndo em direção à vítima (L.G), abraçando-a e carregando-a até a viatura policial, retirando-a rapidamente do local, pois a equipe policial também já estava sob o ataque das abelhas.

Em ato contínuo, encaminharam a idosa ao Hospital Regional de Ponta Porã para atendimento médico. Ao ser entregue no hospital, a vítima ainda encontrava-se desacordada, pois sofrera inúmeras picadas das abelhas, entrando em estado de choque anafilático (reação alérgica que surge em poucos segundos e pode levar à morte).

Rapidamente a equipe médica atendeu a vítima, sendo entubada e medicada. A equipe policial sofreu diversas picadas das abelhas na região do pescoço, orelha, braços, cabeça e mãos.

Além da vítima e dos policiais, varias outras pessoas procuraram o hospital através de meios próprios, buscando atendimento devido ao ataque das abelhas.

Assessoria de Comunicação Social do 4º BPM/CPA1.
“Guardião da Cidadania Fronteiriça”

Comentarios

Más popular

Hasta arriba