Otros

30%: projeto de Reinaldo põe MS entre 3 estados com ICMS da gasolina mais caro

Informações são do Sinpetro, que afirmou nem ter sido procurado pelo governo

Ana Palma Em 10h09 – 31/10/2019

Haverá diminuição de cinco pontos percentuais no etanol, mas a gasolina aumentará mais cinco (Foto: Arquivo Midiamax)

A possível aprovação do projeto de lei no qual propõe aumentar para 30% a alíquota de ICMS (Imposto sobre Comercialização de Mercadorias e Serviços) da gasolina pode colocar Mato Grosso do Sul em terceiro lugar no ranking de imposto mais caro, segundo informações do Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de MS).

Atualmente, Minas Gerais e Rio de Janeiro são os estados com maior porcentagem em cima do combustível, sendo mais de 30%. Segundo o Governo de MS, existe uma alíquota única de 25% sobre a gasolina e o etanol. A proposta é diminuir em cinco pontos percentuais o álcool para estimular a produção no estado, mas a gasolina, que é o mais usado, terá aumento de cinco pontos.

O Sintepro ficou sabendo dessa possível mudança na manhã desta quinta-feira (31), apenas no dia em que o projeto está sendo entregue na Casa de Leis para ser apresentado. “É muito prematuro falar de qualquer coisa agora, nós recebemos a informação hoje e ainda estamos estudando e vendo como vai ficar a situação, mas é muito cedo para ter um posicionamento, pois nem nos reunimos com o governador para saber como vai ficar esse procedimento”, disse Edison Lazzaroto, gerente executivo do sindicato.

Mesmo sabendo de última hora, Edison afirma que o aumento na porcentagem vai causar uma inversão na cultura. “No primeiro momento vai aumentar o consumo de etanol devido queda na alíquota, mas em contrapartida a gasolina vai ficar pesada no bolso do consumidor”, afirma. Midiamax

Más popular

Hasta arriba