Damas do Crime: investigações apontam liderança de execução do PCC por mulheres

Nas investigações da Operação Flashback II, que é realizada nesta terça-feira (28), foi descoberto um aumento expressivo de mulheres atuantes no PCC (Primeiro Comando da Capital). A operação acontece em 11 estados incluindo Mato Grosso do Sul e cumpre 216 mandados.

Conforme as investigações da Deic (Divisão Especial de Investigações de Capturas) de Alagoas, foi observado o protagonismo das mulheres ligadas ao PCC. Assim também ocorreu um avanço na ocupação de cargos de liderança no organograma da facção.

Ainda segundo os levantamentos, as mulheres mostraram ter perfil violento igual ao dos homens da facção, inclusive para tarefas de execução nos tribunais do crime. Também as que possuem função de ‘disciplina’, conduzem normalmente os rituais, condenando ou absolvendo os condenados pelo PCC.

Além disso, é apontado que as ‘Damas do Crime’ aplicam as mais diversas penas, inclusive assassinando rivais ou mesmo membros transgressores do PCC. Com isso, foi constatado que o núcleo é composto por 18 mulheres e um só homem, ainda somado aos demais núcleos da operação, totalizam 39 mulheres alvos de mandados.

Assim, houve um aumento de 557% no número de mulheres alvos da operação nesta segunda fase, sendo que na primeira apenas 7 foram alvos. Em Mato Grosso do Sul, são cumpridos 16 mandados em 6 unidades prisionais. Ainda não há informação se são presídios femininos ou masculinos nem em quais cidades do Estado.

Operação Flashback II

Nesta segunda fase da Operação Flashback, os mandados são cumpridos em Mato Grosso do Sul, sede e base do PCC segundo as investigações, além de Ceará, Alagoas, Pernambuco, Bahia, Paraíba, Piauí, Paraná, São Paulo e Minas Gerais. Assim, participaram, do cumprimento dos mandados, os Gaecos (Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), as Polícias Civis e Militares, e as Secretarias de Ressocialização. MIDIAMAX