Policial

PAULO SECO.Justiça do RS interroga traficante ligado a Fernandinho Beira-Mar que ofereceu R$ 1 milhão para PMs

Justiça do RS interroga traficante ligado a Fernandinho Beira-Mar que ofereceu R$ 1 milhão para PMs
Paulo Seco, preso em agosto do ano passado, estava com outras oito pessoas em Tramandaí quando tentou fugir de abordagem policial


Paulo Seco já morou no Paraguai, no Uruguai e foi condenado três vezes por tráfico.

A juíza Cristiane Scherer, da 1ª Vara Criminal de Tramandaí, marcou para esta quarta-feira (20) o interrogatório do réu José Paulo Vieira de Mello, o Paulo Seco, e de mais um dos sete réus em processo que apura crimes contra a administração em geral. Em agosto do ano passado, no Litoral Norte, ele tentou fugir de abordagem policial e teria oferecido R$ 1 milhão a PMs para não ser preso.
O suspeito, segundo a polícia, terialigações com o traficante carioca Fernandinho Beira-Mar e foi preso no Uruguai, em 2010, quando era procurado pela Interpol.
A Justiça também vai ouvir nesta quarta sete testemunhas de defesa e interrogar o réu Adriano Osmar Schuch, que responde ao processo em liberdade. Além deles, há outros cinco réus: Marino Divaldo Pinto de Brum — que, assim como Seco, segue detido na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) —, Josemar da Rosa Shorn, Géssica Sobirai Reis, Maria Henriques dos Santos e Cristielle Flores Boeira — que respondem em liberdade. A Justiça ainda havia determinado anteriormente a cisão do processo em relação a dois colombianos que não foram mais localizados após serem soltos.
PUBLICIDADE.

Soltura
Apesar da juíza de Tramandaí Cristiane Scherer decidir pela soltura dos réus Paulo Seco, Marino e Josemar, apenas este último ganhou a liberdade. Segundo a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), os dois primeiros já tinham condenação por outros casos e ainda tinham um saldo médio de seis anos de pena para cumprir, cada um. Por isso os dois seguem na Pasc. Já Josemar só está em liberdade porque se comprometeu em manter endereço atualizado, de comparecer mensalmente no forodo município e de se recolher em casa entre 22h e 6h.

Investigação
Enquanto ocorre o processo sobre a tentativa de suborno, Polícia Civil e Polícia Federal investigam tráfico internacional de drogas com lavagem de dinheiro. As instituições estão empenhadas em descobrir um esquema que seria liderado por Paulo Seco. Documentos estão sendo analisados, bem como depósitos bancários feitos em euros do Brasil para a Espanha equivalentes a R$ 32 milhões antes dos nove suspeitos serem presos em agosto do ano passado em Tramandaí.
ZERO HORA

PUBLICIDADE.

Comentarios

Más popular

Hasta arriba