Policial

Em Ponta Porã, mulher se nega a ter relações sexuais e homem diz que vai «arrancar sua cabeça»

PM

Autor encontrava-se em frente à residência com uma espingarda nas mãos.

No início da noite desta sexta-feira (05/07), Policiais Militares do Distrito de Sanga Puitã receberam uma ligação via 190 aonde a comunicante (25) relatava que havia um homem em frente à sua residência portando uma arma de fogo tipo espingarda.

Diante do fato, os policiais se dirigiram até o endereço citado pela comunicante e, em contato com o pai da mesma, este relatou que encontrava-se no interior de sua residência quando ouviu alguém bater na porta. Em seguida, o mesmo perguntou quem era, momento em que o autor respondeu: «Aqui é o neguinho e quero falar com a sua filha!»

O pai da vítima, então, pediu para que o autor fosse embora, pois já estava tarde, porém, o mesmo recusou-se e continuou em frente à residência da vítima. Foi quando o pai da vítima notou que o autor encontrava-se em frente à residência com uma espingarda nas mãos.

Deste modo, a vítima entrou em contato com o 190 e, pouco antes da chegada dos policiais, o autor evadiu-se tomado rumo à sua residência.

Em vista disso, os policiais se dirigiram até a casa do autor e, no momento da chegada da equipe, o mesmo encontrava-se bastante agressivo sendo necessária a utilização do uso progressivo da força para contê-lo.

Os policiais indagaram ao autor a respeito da espingarda, porém, o mesmo não disse onde estaria e, em buscas pelas proximidades, os policiais não conseguiram localizá-la.

A vítima relatou aos policiais que nunca teve qualquer tipo de relacionamento com «Neguinho», apenas conversou com o autor algumas vezes. Disse, também, que autor começou a ameaçá-la depois que ela teria se recusado a ter relações com o mesmo. Nas ameaças o autor dizia à vítima que: «iria pegar a vítima e ter relações com ela de qualquer jeito, até mesmo à força se fosse necessário e, caso a vítima se recusa-se, iria matá-la».

No celular da vitima também haviam mensagens do autor dizendo que iria arrancar a cabeça da mesma e chamando-a de vagabunda.

Diante dos fatos, os policiais encaminharam o autor à Primeira Delegacia de Polícia Civil para que fossem adotadas as medidas legais cabíveis.

Ponta informa

Comentarios

Más popular

Hasta arriba