Policial

CHEFÃO DO TRÁFICO.Polícia investiga envolvimento de Minotauro com carga recorde de cocaína

Suposto chefão do tráfico foi preso em SC, mesmo destino de 940 quilos de cocaína retidos em janeiro.

A quadrilha supostamente chefiada por Sérgio Arruda Quintiliano Neto, o “Minotauro”, preso na tarde de segunda-feira (4) em Balneário Camboriú (SC), pela Polícia Federal, também pode ser a dona dos 940 quilos de cocaína apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal em 22 de janeiro último, na BR-463, em Ponta Porã (MS). O droga apreendida no mês passado tinha como destino o Estado de Santa Catarina, onde Minotauro foi detido. 


A Polícia Federal investiga o paradeiro do suspeito de chefiar o tráfico na fronteira do Brasil com o Paraguai há seis meses, e descarta que a apreensão tenha sido determinante para a prisão de Minotauro. A origem da droga retida, contudo, pode ser do grupo que ele chefiava. É uma das possibilidades investigadas. 

Sérgio Arruda Quintiliano Neto segundo apurado pelas polícias – teria se tornado o novo chefão do tráfico na fronteira seca com o Paraguai após a execução de Jorge Rafaat e a extradição de Jarvis Pavão daquele país para o Brasil. 

Minotauro teria deixado a fronteira depois que as polícias brasileira e paraguaia iniciaram ofensiva às quadrilhas que atuam na região. O carregamento apreendido no mês passado seria uma tentativa de tirar os 940 quilos de cocaína da zona de conflito, e garantir os quase R$ 30 milhões que a droga renderia no mercado internacional. 

Escalada de violência

Conforme a Polícia Federal, Minotauro teria envolvimento nas recentes – e violentas – ações criminosas nas cidades de Ponta Porã, Pedro Juan Cabellero e outras cidades da fronteira. Depois que o suspeito de ser o chefão do tráfico passou a ser considerado o “capo” da região, verificou-se a escalada de execuções e outros atos violentos. 

Minotorauro, por exemplo, é suspeito de ter sido um dos responsáveis pelo assassinato de um policial civil de Mato Grosso do Sul em março de 2018, e de ter participação na execução de uma advogada em novembro último, do lado paraguaio da fronteira. 

A organização criminosa integrada por Minotauro ainda é suspeita de ser a responsável pelo ataque a uma casa em Ypehu, no Paraguai, cidade fronteiriça com Paranhos. 

Mitologia

Os policiais apreenderam com o suspeito, em Balneário Camboriú, US$ 100 mil em espécie, celulares e um veículo BMW. Minotauro não ofereceu resistência à ação policial, denominada, Operação Teseu. O nome é oportuno: na mitologia, Teseu é o personagem que derrotou o Minotauro.

correio do estado.

Comentarios

Más popular

Hasta arriba