Policial

AS 6 CRUZES….cadáveres pertencem a traficantes que atuavam no Morro Chapéu Mangueira

Os cadáveres pertencem a traficantes que atuavam no Morro Chapéu Mangueira e estavam desaparecidos desde a última sexta-feira (8/6).

Seis corpos foram localizados pelo Corpo de Bombeiros entre pedras, numa região conhecida como Pedra do Anel, na Urca, zona sul do Rio de Janeiro, neste domingo (10/6). Familiares identificaram os cadáveres: são de traficantes que atuavam no Morro Chapéu Mangueira, no Leme (zona sul), e estavam desaparecidos desde sexta-feira (8).

A identificação oficial deles não havia sido divulgada até as 13h30. Até então, as vítimas haviam sido reconhecidas apenas pelo primeiro nome ou pelos apelidos: Ernani, o Bondinho; Franklin, conhecido como Tinaia; Ângelo, apelidado de Foca; Da Coreia; Nathan da Vila Aliança e HB.

Na sexta, houve intensa troca de tiros na Urca entre policiais e traficantes. Os criminosos tentaram fugir do Morro da Babilônia, no Leme, pela mata. Dali é possível chegar à Urca, e foi esse o trajeto escolhido pelos criminosos para tentar escapar da polícia.
Os tiroteios chegaram a interromper a circulação do bondinho do Pão de Açúcar pela primeira vez por razão de segurança pública desde o início de seu funcionamento, em 1912. Na sexta, apesar dos tiroteios, não houve registro de mortes. Um suspeito foi preso e seis fuzis foram localizados e apreendidos.

Na manhã deste domingo, familiares dos desaparecidos avisaram os bombeiros sobre a localização dos corpos. Eles teriam sido informados por traficantes que conseguiram fugir da perseguição de sexta. Esses familiares acusam a Polícia Militar de ter assassinado os seis traficantes depois que eles se renderam, na mata do morro da Urca.

DIVULGAÇÃO/PMERJ

Comentarios

Más popular

Hasta arriba