Fronteira

Suspeito de triplo homicídio na região de fronteira com Brasil é preso com fuzil, pistolas, munições e máscaras

A polícia do Paraguai prendeu na noite de quarta-feira (13), mais um suspeito de envolvimento no triplo homicídio ocorrido sábado (9), na cidade paraguaia de Zanja Pytã, divisa com o distrito de Sanga Puitã, em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul.

Gorgonio Ramon Rojas foi preso em casa, em Pedro Juan Caballero. Com ele foi apreendido um fuzil 556, duas pistolas 9 milímetros, mais de 400 munições de diversos calibres, um colete balístico e oito celulares.

Outras duas pessoas já tinham sido presas logo após o crime: Nelson Mussi Espinola e Ismael Encizo. Com a dupla foram apreendidas várias armas de grosso calibre como uma metralhadora 7,62 milímetros, uma espingarda calibre 12, coletes táticos, carregadores e vários cartuchos.

Os três são suspeitos de envolvimento nas mortes do paraguaio César Ortiz Zorrilla, de 38 anos e dos brasileiros Alessandro Núnez de Moura e Gabriel Zaracho Moura. Eles estavam dentro de um carro parado em frente uma conveniência, próxima a linha internacional que separa o Paraguai do Brasil, quando vários homens desceram de uma caminhonete e começaram a fazer disparos contra eles.

Zorrilla, que seria o alvo principal dos atiradores, ainda teria sacado uma arma para tentar se defender, mas não conseguiu e acabou morrendo junto com os dois brasileiros. A polícia do país vizinho investiga se o paraguaio seria integrante do grupo do traficante brasileiro Jarvis Pavão.

Guerra na fronteira

Se comprovada a ligação do crime com o tráfico de drogas, será mais um capítulo na guerra da disputa pelo comando na região de fronteira. O G1 traçou um panorama desta disputa que, só em 2018, vitimou 30 pessoas.
Fonte: G1 MS

Comentarios

Más popular

Hasta arriba