Fronteira

Com 26 casos confirmados, Amambai quer manter dengue sobre controle

.

Com 247 notificações e pelo menos 26 casos confirmados da doença, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, Amambai quer manter a dengue controlada no município.

Segundo o secretário municipal de saúde, Leonildo Acosta, o “Léo”, o trabalho integrado entre os agentes comunitários de saúde e os agentes epidemiológicos do setor de Controle de Vetores tem surtido efeito e impedido que a doença se alastre na cidade.

Tão logo um caso de suspeita de dengue é comunicado em determinada região da cidade, a força conjunta, Controle de Vetores e agentes de saúde, coordenados pelo Comitê Municipal de Combate à Dengue, que tem a frente o subtenente do Corpo do Bombeiros e coordenador da Defesa Civil no município, Wilson Vicente Ferreira, respaldada pela Secretaria de Saúde, entra em ação.

“As ações de bloqueio que praticamos aqui em Amambai vai além do que é realizado normalmente em outros municípios, que é a aplicação de inseticida. As equipes vão à campo, e quero aproveitar aqui para agradecer o empenho de nossos agentes de saúde e da equipe do controle de vetores em relação a nessa questão, com o intuito de eliminar também  dos criadouros. Ao longo de nove quadras a força tarefa percorre casa por casa eliminando criadouros do Aedes Aegypti, o mosquito transmissor da dengue e orientando os moradores para a necessidade da prevenção para evitar a proliferação da doença”, disse Leonildo Acosta ao ressaltar que o trabalho comum, de aplicação de inseticida é eficaz para matar o mosquito, mas não elimina os ovos e as larvas, que com o clima favorável, entre 5 a 7 dias já se tornam mosquitos e vão fazer novas vítimas.

“Esse trabalho que estamos realizando tem surtido efeito no sentido de conter o avanço da dengue em grande escala, mas para que a doença seja de vez erradicada precisamos da consciência e do apoio de toda a população para evitar a proliferação do Aedes Aegypti eliminando os criadouros do mosquito dentro de casa, nos quintais e em terrenos baldios”, disse o secretário de saúde.

Cone Sul tem 1251 notificações com 254 casos confirmados

Este ano o Mato Grosso do Sul já registrou pelo menos 11 mortes de pessoas atribuídas a dengue.

Uma das últimas vítimas da doença transmitida pelo Aedes Aegypti foi um menino de 11 anos, filho de um casal de médicos da cidade de Dourados, que segundo a Secretaria de Estado de Saúde em MS (SES) teria contraído dengue do tipo hemorrágica.

O boletim epidemiológico divulgado nessa quinta-feira, 11 de abril, pela SES traz os números da dengue registrados até agora na região Cone Sul do Estado. São pelo menos 1251 notificações com 254 casos confirmados da doença.

Em Amambai são 247 notificações com 26 casos de dengue confirmados levado em consideração o critério clínico-epidemiológico (Lacen e clinicas privadas).

Mundo Novo tem 319 notificações com 29 casos confirmados, Aral Moreira 123 notificações com 12 casos confirmados, Itaquiraí 148 notificações e 129 casos confirmados, Eldorado 41 notificações e 1 caso confirmado, em Naviraí são 160 notificações com 25 casos confirmados para a doença, Coronel Sapucaia 44 notificações e 6 casos confirmados, Caarapó 62 notificações e 19 casos confirmados, Iguatemi 32 notificações e 2 casos confirmados, Sete Quedas 14 notificações de casos suspeitos de dengue com 1 confirmação para a doença, Jutí 4 notificações e um caso confirmado e Japorã 4 notificações com 3 casos confirmados de dengue.

Os municípios de Paranhos e Tacuru, que juntos somam 53 notificações de suspeitas de dengue, ainda não tiveram nenhum caso confirmado para a doença de janeiro para cá. AGAZETA NEWS

Os agentes públicos fazem sua parte, mas sem o apoio da comunidade no sentido de eliminar criadouros é impossível extinguir o mosquito e a dengue, segundo a Secretaria de Saúde. 
Reunião entre a Secretaria de Saúde, Comitê de Combate a Dengue e integrantes do setor de Controle de Vetores para montar estratégia de ação para a realização de bloqueio em área com notificação em Amambai. Trabalho integrado tem evitado que a doença se espalhe no município.
Comentarios

Más popular

Hasta arriba