Fronteira

Vereador é investigado por induzir brasiguaios a fraudar biometria

Em rádio paraguaia, parlamentar oferece ‘ajuda’ para recadastramento.
Hermógenes de Oliveira (PMDB) alega que quem mora em Foz tem direito.

O Ministério Público Eleitoral investiga uma declaração do vereador Hermógenes de Oliveira (PMDB), de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, conhecido como Mogênio, dada durante entrevista a uma emissora de rádio do Paraguai. O parlamentar oferece uma “ajuda” aos brasileiros que moram próximo à fronteira para fazer o recadastramento biométrico em Foz do Iguaçu, que iniciou nesta terça-feira (3).
PUBLICIDADE
PARANA

Segundo a legislação eleitoral, uma pessoa só pode fazer o título de eleitor ou o recadastramento biométrico na cidade onde mora e com a apresentação de um comprovante de endereço original.

“Todos que moram aqui (no Paraguai), então quem tiver parente lá (Foz) primo, tio, tia, nos procure que a gente pega uma (conta de) água, a gente transfere, vale o contrato, tem várias outras opções”, afirma o parlamentar, que possui eleitores entre os brasiguaios, como são chamados os brasileiros que vivem no Paraguai.

“O voto daqui, pra mim, eu não digo vale por dois, vale por três, porque como a pessoa sai com a sua família daqui, ele vai lá e vota mesmo. Então eu sei disso. Eu estou lá, não é à toa, há seis mandatos”, afirma Mogênio.
Ainda durante entrevista a rádio de Naranjal, a 100 quilômetros de Foz, o vereador cita casos em que os brasiguaios procuraram o parlamentar.
Atendimento
“A mulher me ligou lá de Santa Rosa, ‘não Mogênio, eu tenho, eu preciso, você ajudou muito a minha família, eu sou só eu, mas eu quero fazer, porque você me ajudou’. Então, como é que eu vou deixar uma mulher dessa fora? Vou ter de gas…, arrumar uma (conta de) água para ela. Então esse trabalho agora a gente está com uma estrutura boa lá na Câmara, então estamos trabalhando em cima disso agora. E claro, continuamos atendendo na saúde também, como a gente fez sempre”, cita.
Além de Santa Rosa del Monday, outras cidades do Paraguai como Naranjal, Raul Peña e Santa Rita concentram cerca de 350 mil habitantes brasileiros. Muitos ainda recorrem ao Brasil quando precisam de serviços de saúde, por exemplo.
Segundo a promotoria, se comprovada a irregularidade, o parlamentar pode responder pelo crime de induzir alguém a se inscrever como eleitor. A pena para o crime é dois anos de detenção e multa.
“Uma vez caracterizado o crime, irá processá-lo criminalmente, em não se caracterizando, irá requerer o arquivamento”, afirma o promotor Marcos Cristiano Andrade.
‘Endereço novo’
Mogênio disse à RPC que os eleitores que trabalham no Paraguai e moram em Foz do Iguaçu têm direito de fazer o recadastramento biométrico.
“O que eu disse e volto a falar e posso falar de novo, não tem problema algum, quem tem ligação com Foz do Iguaçu, que tem pai, mãe, avô, avó, justamente isso que eu falei, que mora em Foz do Iguaçu, que vai para as suas casas, ele tem o direito de fazer, agora o que não pode é produzir um endereço novo”, afirmou.
O recadastramento começou nesta terça em Foz e segue até 30 de março de 2016. O cartório eleitoral vai funcionar das 9h às 18h, de segunda à sexta-feira. Serão disponibilizados de 20 a 75 guichês de atendimento, gradativamente. G-1
PUBLICIDADE
capa 2

Comentarios

Más popular

Arriba