Otros

Trapalhada no Paraguai: Matador da .50 é rejeitado em presídio e fica no "vai e vem"

Trapalhada no Paraguai: Matador da .50 é rejeitado em presídio e fica no “vai e vem”

(*) NÉLIO BRANDÃO

O brasileiro Sergio Lima dos Santos, 34, acusado de puxar o gatilho da metralhadora calibre .50 no ataque que matou o empresario Jorge Rafaat Toumani, no dia 15 de junho, em Pedro Juan Caballero, fronteira com Ponta Porã (MS), foi rejeitado hoje na penitenciária de Tacumbú, onde deveria ser transferido por ordem do juiz Edgar Ramirez.

A alegação: a unidade prisional está temporariamente fechada devido à superlotação, no local estão 4.300 ser internos e a capacidade do local é de 1.687 prisioneiros. Essa é uma resolução ministerial.

O matador foi novamente levado para o grupo especializado, onde se mantém sob custódia desde que foi preso.

Depois de matar Rafaat e na troca de tiros com guardas, Sérgio recebeu um tiro no rosto e o ferimento ainda não está totalmente recuperado.

A transferência realizada foi devido as condições precárias de unidades de saúde, o juiz Edgar Ramirez ordenou a transferência para Tacumbú, cidade colada a capital. Assunção, onde Sérgio estava até sexta-feira passada.

VAI E VEM

Sérgio ficou 15 dias em um hospital particular na cidade de Fernando de la Mora, na região metropolitana da capital, e na quinta-feira (30) foi transferido para uma cela improvisada no quartel de um grupo especial da Polícia Nacional, em Assunção.

Por decisão do juiz Édgar Ramírez, ele deveria permanecer pelo menos dez dias no local, até se recuperar e ter condições de ir para o presídio, mas o quadro de saúde do brasileiro se agravou no fim de semana.

Neste domingo (3), uma junta médica constatou que o quadro de saúde dele se agravou devido às condições do local, pois a sala não é adequada para fazer tratamento médico, mas ele vai ter ficar No quartel da Polícia Nacional.

EXECUÇÃO

Na noite de 15 de junho, pistoleiros armados fizeram uma emboscada para o empresário Jorge Rafaat Toumani, no centro de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande.

Usando uma metralhadora antiaérea instalada em uma caminhonete Toyota roubada na Argentina, os pistoleiros perfuraram a blindagem do utilitário Hummer conduzido por Rafaat. A polícia do Paraguai afirma que Sergio dos Santos manuseou a metralhadora. Com infos – ABC Color

(*) Jornalista e blogueiro

Comentarios

Más popular

Arriba