Brasil

Suspeito de matar menina no Rio deixou corpo em geladeira por 3 dias

Pedreiro sequestrou a criança de seis anos em Vaz Lobo, no Subúrbio.
Ele era amigo da família e imagens mostram ele dando a mão a criança.

A Delegacia de Descoberta de Paradeiros já está com um dos laudos sobre o assassinato da menina Ana Carolina, de 6 anos, que morreu depois de ser levada por um vizinho, em Vaz Lobo, no Subúrbio do Rio. O laudo comprovou que Alfredo dos Santos de Oliveira, de 53 anos, manteve o corpo da menina em uma geladeira, na obra onde ele trabalhava, por três dias. A polícia encontrou manchas de sangue no local.

Agentes da delegacia também conseguiram novas imagens que ajudam a esclarecer a dinâmica do crime. Em uma dessas imagens, Alfredo aparece andando de mãos dadas com a menina. Ele era amigo da família e, por isso, não teve dificuldades para chegar até a criança.

saiba mais
Polícia pede prisão preventiva para homem suspeito de raptar menina
Suspeito de raptar menina no Rio já tentou abusar de enteada, diz ex
Polícia prende suspeito de ter levado menina em Vaz Lobo, no Rio
Mãe de menina sequestrada e morta no Rio não irá ao enterro da filha

Em outras imagens é possível ver Alfredo andando pela rua com um carrinho de feira fechado, indo em direção a obra que ele trabalhava. Depois, ele passa novamente pela rua, mas arrastando o carrinho com um saco preto dentro, já com o corpo da criança. Ele escondeu o corpo da menina em um buraco na Avenida Pastor Martin Luther King.

A polícia disse que Alfredo matou Ana Carolina no mesmo dia do sequestro. Inicialmente, a polícia disse que ele matou a criança com uma pancada na cabeça, mas exames complementarem é que vão definir se a criança também foi vítima de outro tipo de violência. Ele vai responder por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Enterro sob forte comoção
Sob forte comoção de familiares e amigos que acompanharam o cortejo fúnebre, foi enterrado na tarde deste domingo (3) o corpo da menina Ana Carolina Flor dos Santos, de 6 anos, sequestrada e morta em Vaz Lobo, no Subúrbio do Rio. A mãe da criança, Marta Vieira Flor, 31, segundo parentes, está inconsolável e não foi ao enterro.

Uma boneca foi colocada sobre o caixão de Ana Carolina, morta após ser sequestrada em Vaz Lobo, no Subúrbio do Rio (Foto: Alessandro Ferreira/G1)
Uma boneca foi colocada sobre o caixão de Ana Carolina, morta após ser sequestrada em Vaz Lobo, no Subúrbio do Rio (Foto: Alessandro Ferreira/G1)

“Ela está de resguardo e tem problema de coração. Está muito abalada e não irá ao cemitério”, afirmou Marcelo Leandro Flor, tio da criança. O caixão de Ana foi coberto com uma bandeira do Brasil e uma grande coroa de flores foi colocada próximo ao local onde o corpo foi velado.

Menina sumiu no dia 26
Ana Carolina foi sequestrada no sábado (26) pelo pedreiro Alfredo quando brincava em frente a casa dos avós em Vaz Lobo. O corpo da menina foi encontrado na tarde desta sexta-feira (1º). De acordo com a delegada Elen Souto, titular da Delegacia de Descoberta de Paradeiros, o pedreiro confessou o assassinato e indicou onde teria ocultado o corpo em um buraco na Avenida Pastor Martin Luther King, na altura de Vicente de Carvalho. O local fica a cerca de dois quilômetros de onde a menina foi raptada.

Oliveira tem uma passagem pela polícia por lesão corporal e foi detido depois de análises de câmeras de segurança. O pedreiro disse ser usuário de cocaína e disse ter se reconhecido nas imagens, mas não confessou o crime.

Ainda de acordo com Elen, Oliveira disse que deixou a menina em um bar no Morro da Serrinha, em Madureira, mas não soube dizer porque esteve com ela. Ele assumiu que no dia do desaparecimento havia consumido cocaína.

Outro fato também chamou a atenção da delegada: “No dia do desaparecimento ele se dirigiu até a casa da avó da menina e perguntou pelas crianças. Uma irmã dela disse que elas estavam no fundo do quintal brincando”, contou a delegada. Oliveira conhecia a menina Ana Carolina, que mora no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, mas sempre passava alguns dias na casa da avó.

Comentarios

Más popular

Arriba