Marketing

Sete capas mostram a decadência da Playboy no último ano

Redação RedeTV!
Após 40 anos de circulação no Brasil, a revista Playboy deixará de ser distribuída pela editora Abril, como anunciado nesta quinta-feira (19). Apesar do anúncio formalizar a má fase, as edições do último ano mostram os sinais de decadência da publicação, que trocou grandes musas e sex symbols por nomes desconhecidos pelo público. O portal da RedeTV! selecionou sete capas para comprovar que o futuro da revista já era evidente.

Quem iria esperar que a intitulada ‘Índia Fitness’ (?), seria escolhida para estampar a capa de novembro da maior revista masculina do país? Ou mesmo a ‘Gari Gata’? E quem considerava Veridiana Freitas (antes de entrar no reality show ‘A Fazenda’) a mulher mais desejada do momento a ponto de receber o tão famoso convite? Elas e outras quatro mulheres são as provas de que a Playboy já estava perdendo força no mercado antes de anunciar o seu possível fim.

Há um ano, a modelo Marcela Pignatari tirou a roupa para estampar a capa da revista. Até então, ela só havia aparecido discretamente na mídia por conta de uma participação na série ‘O Negócio’, do canal HBO, em 2013.

Veridiana Freitas já tentou ganhar destaque na imprensa por boatos de um romance com o sertanejo Gusttavo Lima e até mesmo sob a identidade de sósia, a ‘Angelina Jolie Brasileira’. Em janeiro de 2014, ela conseguiu a façanha de ser capa da Playboy ao lado de Fernanda Lacerda e Aricia Silva e voltou a ser destaque na publicação em maio do ano seguinte, mesmo sem estar nos holofotes da fama.

Ivi Pizzott faz parte do balé do Faustão e recebeu o convite para ser capa da revista em maio de 2015. As fotos da bailarina não geraram grandes comentários, apenas repercutiram quando Luan Santana foi flagrado fazendo uma ‘careta’ olhando a publicação.


“A DJ Mais Gostosa do Brasil” foi o título dado à Janaína Santucci para justificar sua presença na capa da revista de junho de 2015. Anos antes, Janaína virou notícia por ser sósia de Aryane Steinkopf…

Famosa nas redes sociais, Rita Mattos aceitou se tornar a ‘Gari Gata’ para posar nua na Playboy no último mês de setembro. Ela foi encontrada trabalhando para a prefeitura do Rio de Janeiro e não largou sua profissão após ser destaque na revista. Será que o cachê não ajudou muito?

Iara Ramos (quem?) é assistente de palco de um programa de TV e protagonizou a edição de outubro. Não há nada mais para ser dito sobre ela.


Por fim, a improvável e inesperada Índia Fitness posou ao natural para representar sua personagem. Cíntia Vallentim é natural de Sorocaba e foi citada pela mídia apenas quando pagou ‘mico’ ao mostrar os seios no aeroporto e fingir falar no celular com o aparelho desligado.

Até 2014, a publicação acertou com nomes fortes e que estavam em alta na época, como a atriz Jessika Alves, capa da edição de aniversário, que chamou atenção ao viver uma babá na novela ‘Em Família’. Também foram rápidos ao convidarem a modelo Patrícia Jordane, apontada como affair do jogador Neymar, destaque na edição de junho, especial para a Copa do Mundo. No entanto, em 2015, o ‘timing’ foi certeiro apenas no mês de julho, com as fotos da funkeira de Tati Zaqui, que começava a despontar na internet com danças provocantes.

No passado, um ensaio na Playboy significava para muitas uma consagração da carreira. Atrizes, cantoras, atletas em suas melhores fases aceitavam emprestar os corpos nus às capas da revista até mais de uma vez. Grandes atrizes como Maitê Proença, Vera Fischer, Malu Mader, Deborah Secco, Karina Bacchi, assim como outras artistas como Joana Prado (A Feiticeira), Suzana Alves (A Tiazinha) eram aguardadas pelo público masculino e marcaram época com seus ensaios.
Até mesmo mulheres que não despontavam pela beleza ou eram reconhecidas pelo sex appeal, mas se tornaram ícones na mídia, foram conquistadas pela fama da Playboy. Estes são casos como o da ex-jogadora de basquete Hortência e Rosenery Mello, a ‘Fogueteira do Maracanã’, que ficou conhecida por lançar um rojão em pleno campo durante a partida entre Brasil e Chile nas Eliminatórias da Copa de 1990, na Itália. Suas edições foram alvos de muitas críticas, o que resultou em grande repercussão nacional.

A publicação ainda não anunciou quem será a beldade que vai estampar sua provável última capa, de dezembro de 2015. Mas para mostrar tudo o que a publicação representou no mercado durante os 40 anos em circulação, um nome forte entre o público masculino seria a escolha ideal. Por que não Bruna Marquezine, Anitta ou Paolla Oliveira? Elas poderiam fechar com chave de ouro a história da revista Playboy no Brasil.

Comentarios

Más popular

Arriba