Fronteira

ROTA DA DROGA: Ministro promete viaturas, mais operações e helicóptero para fronteira

ROTA DA DROGA: Ministro promete viaturas, mais operações e helicóptero para fronteira.
Governo brasileiro anuncia atuação conjunta com Paraguai contra o tráfico.
Durante o encerramento da Operação Nova Aliança, realizada hoje, no Paraguai, o Ministro da Justiça Alexandre de Moraes afirmou que sua prioridade é combater a criminalidade transnacional e erradicar as plantações de maconha no Paraguai.
PUBLICIDADE:
art forma 1

O tráfico de drogas a partir do país vizinho tem impacto direto em Mato Grosso do Sul, que serve de passagem para a distribuição do entorpecente.

Moraes destacou ainda a necessidade de reforço presencial e operação de inteligência na fronteira. Além disso, prometeu destinação de recursos federais, aumento de viaturas e uso de helicópteros nas operações.

Em coletiva de imprensa concedida na tarde de hoje em Pedro Juan Caballero, divisa com Ponta Porã, o ministro reforçou a necessidade de se exterminar as plantações de maconha.

“É muito mais eficiente erradicarmos já no momento da plantação, do que aguardar para combater a droga que já está sendo comercializada”, afirmou.

Para o ministro, a obrigação do Brasil é de atuar junto com o Paraguai no combate ao tráfico, já que a maior parte da droga é destinada ao território brasileiro.

“Cerca de 80% da maconha plantada no Paraguai é destinada para o Brasil, por isso temos dever de apoiar a autoridade Paraguaia”, ponderou.
PUBLICIDADE:
banner-anuncie

UNIÃO QUE FAZ A FORÇA

A parceria entre os países é vista com bons olhos pelo Ministro da Justiça brasileiro. “O encerramento da operação demonstra parceria entre Brasil e Paraguai no trabalho contra o crime organizado e erradicação da maconha”.

Segundo a polícia paraguaia, durante 12 dias da operação “Nova Aliança 13” foram destruídos 66,9 mil quilos de maconha pronta para venda, além de 103 acampamentos, 38 prensas e 350 quilos de sementes. Prejuízo ao narcotráfico foi estimado em US$ 16,5 milhões, cerca de R$ 54 milhões.

Mato Grosso do Sul e Paraná seriam as principais rotas de entrada da droga. O encerramento contou com a presença do delegado-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra, que elogiou a operação.

“A estrategia é correta e teve bom resultado. O apoio do Ministério da Justiça é muito importantes para o combate ao tráfico”, pontuou. CORREIO DO ESTADO.

PUBLICIDADE:
9713861141784247832

Comentarios

Más popular

Arriba