Brasil

Record demite profissionais e revolta equipe que Xuxa tirou da Globo

A Record já deu início ao processo de terceirização do RecNov. Desde o início do mês, funcionários da produção do programa de Xuxa Meneghel estão sendo demitidos pela emissora e recontratados pela Casablanca, produtora que está assumindo o complexo de estúdios no Rio de Janeiro. A medida revoltou profissionais. Eles argumentam que deixaram a Globo para trabalhar para a Record, não para a Casablanca, uma empresa sobre a qual não têm muitas referências.

Antes de serem demitidos, os profissionais que Xuxa tirou da Globo estão sendo chamados para conversar com a Casablanca. A produtora tem oferecido salários menores, mas a maioria tem conseguido manter o mesmo ganho, alegando que isso pode ser considerado ilegal, já que, na prática, o emprego continua sendo o mesmo, só muda o empregador. Houve pelo menos um caso de uma funcionária que conseguiu ser recontratada pela Casablanca ganhando mais do que na Record. Houve casos também de profissionais que não aceitaram a proposta e que vão deixar o programa de Xuxa em novembro.

Menos sorte terão os funcionários que trabalham em Os Dez Mandamentos. Eles serão demitidos pela Record assim que terminarem as gravações da novela. Passarão o Natal e o Ano Novo desempregados. Parte deles só deverá ser recontratada pela Casablanca em janeiro, quando começará a ser gravada a próxima novela bíblica, Terra Prometida, com a história de Josué.

Ao todo, cerca de 400 profissionais do RecNov serão dispensados. A Record só manterá contratados atores, diretores e autores. Funcionários de produções e áreas técnicas, como cinegrafistas, figurinistas e cenógrafos, serão todos terceirizados, gerando economia para a emissora. Os funcionários estão revoltados e inseguros. Não há garantia de que serão recontratados pela Casablanca. E, mesmo que venham a sê-lo, muitos poderão trabalhar por obra certa, ou seja, apenas durante o período em que durar deteminado serviço ou novela. O clima nos bastidores de Os Dez Mandamentos, apesar do sucesso da novela, é de velório.

Em meados de novembro, após o término das gravações da novela bíblica, o RecNov ficará fechado para um inventário em suas instalações. As gravações do programa de Xuxa estão sendo antecipadas por causa disso. Após o inventário, a Casablanca assume definitivamente.

Depois do RecNov, o processo de terceirização será implantado em São Paulo. Programas de auditório serão entregues para produtoras independentes. A Casablanca também deve assumir parte ou todos eles. A terceirização do RecNov (e de outros setores da emissora) é um processo que começou há mais de um ano, sob a liderança de Marcus Vinicius Vieira, vice-presidente da área administrativa da Record, homem de confiança do bispo Edir Macedo.

Antes de decidir pela terceirização, a Record tentou vender o RecNov, como o Notícias da TV publicou em primeira mão em abril de 2014. Sem conseguir comprador para o complexo de estúdios, que consumiu mais de R$ 500 milhões em dez anos, a emissora partiu para a terceirização, notícia também publicada primeiramente aqui. A ideia é que a emissora deixe de ter prejuízo com a produção de novelas.

Procurada, a Casablanca informou que apenas a Record pode falar sobre o processo de terceirização do RecNov. Um executivo da produtora confirmou, sob a condição de não ter sua identidade revelada, que está assumindo a produção do programa de Xuxa e de todas as novas novelas da emissora _a Casablanca já produz, em Paulínia (SP), A Escrava Mãe, prevista para estrear em novembro. A Record não se comunica com o Notícias da TV. ( Noticias da TV )

Comentarios

Más popular

Arriba