Economia

Por que está cada vez mais difícil ser magro

Por que está cada vez mais difícil ser magro

ThinkstockMais difícil do que nunca: as pessoas estão ingerindo a mesma quantidade de comida e ainda estão mais pesadas do que na década de 80

Marina Demartini, de Exame.com

São Paulo – Um estudo canadense revelou que os adultos de hoje são 10% mais pesados do que as pessoas na década de 1980, mesmo seguindo a mesma dieta e o mesmo plano de exercícios.

Publicada na revista Obesity Research & Clinical Practice, a pesquisa foi feita a partir dos dados alimentares de 36.400 norte-americanos, entre os anos de 1971 e 2008, e as informações sobre atividades físicas de 14.419 pessoas entre 1988 e 2006.

Para examinar se a associação entre ingestão calórica, quantidade de exercícios físicos e índice de massa corporal (IMC) sofreu alguma transformação, os autores cruzaram dados de ambos os grupos de participantes.

Foi a partir daí que eles viram que entre 1971 e 2008, o IMC, a ingestão calórica total e o consumo de carboidratos aumentaram entre 10% e 14%, enquanto a ingestão de gordura e proteína diminuiu entre 5% e 9%. Entre 1988 e 2006, a frequência de atividade física aumentou entre 47% e 120%.

Desse modo, eles descobriram que uma pessoa, em 2006, que come o mesmo número de calorias e macronutrientes (como gordura e proteína) e se exercita da mesma forma que uma pessoa da mesma idade nos anos de 1988 tem o IMC 2,3 pontos mais alto.

“” style=”box-sizing: border-box; width: 320px; max-width: 320px; border: 0px; vertical-align: bottom;”>

“Nossos resultados sugerem que, se você tem 25 anos, você teria que comer ainda menos e se exercitar mais do que os mais velhos, para evitar ganhar peso”, afirma Jennifer Kuk, professora de cinesiologia eciência da saúde na Universidade de York (Canadá), em um comunicado.

Causas

De acordo com Kuk, existem três fatores relacionados à mudança no estilo de vida e ao meio ambienteque podem ser culpados pelo aumento do peso.

O primeiro é a maior exposição aprodutos químicos, como pesticidas e até substâncias em embalagens de alimentos. Segundo a professora, eles podem estar alterando os processos hormonais que regulam o peso do ser humano. 

Em segundo lugar, o uso excessivo de medicamentos prescritos nas últimas décadas podem ter ajudado nesse aumento. Antidepressivos e estabilizadores de humor (como o ácido valpróico e o líto), por exemplo, causam aumento de apetite e, por consequência, ganho de peso.

O último ponto tocado por Kuk está relacionado às bactérias do intestino, que podem ter sofrido mudanças com o passar dos anos e desregulado a maneira como nosso corpo processa as groduras.

A professora também acredita que a proliferação de adoçantes artificiais pode desempenhar um papel nesses números. “Em última análise, a manutenção de um peso corporal saudável é agora mais difícil do que nunca”, explica Kuk
Exame
PUBLICIDADE.

Comentarios

Más popular

Arriba