Otros

Polícia Federal suspeita que avião perseguido pela FAB pousou no Paraná

Polícia Federal suspeita que avião perseguido pela FAB pousou no Paraná
Uma aeronave, com marcas de disparos de arma de fogo na fuselagem, foi localizada, na manhã desta segunda-feira (26), no Aeroporto Edu Chaves, em Paranavaí (PR), cerca de 90km da divisa com Mato Grosso do Sul. A Polícia Federal abriu inquérito para apurar se é o mesmo avião suspeito que, no sábado (24), sobrevoou por MS e foi perseguido pela Força Aérea Brasileira (FAB).


Polícia Civil apreende avião interceptado pela FAB
Testemunhas disseram que o avião pousou na manhã de hoje e foi abandonado no local

Conforme a PF, os organismos da aeronáutica ainda não confirmaram que a aeronave prefixo PT-EXP encontrada no Paraná seria a mesma, mas irá investigar as razões dos danos na aeronave, qual sua utilidade e os motivos de sua presença no aeroporto.
Em inspeção inicial, a aeronave estava sem os bancos de passageiros, indicando que o avião era, possivelmente utilizado para transporte de mercadoria de contrabando ou drogas.

PUBLICIDADE.
201509CFFD24180756

MAIS SUSPEITAS
De acordo com as informações apuradas pela PF, no dia 26 de setembro de 2012, essa aeronave, de prefixo PT-EXP, foi apreendida pela Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) do Paraguai, carregada com mercadorias eletrônicas e medicamentos. Na ocasião foram presas cinco pessoas, dentre elas o piloto brasileiro.


CASO
Equipes policiais foram acionadas, no sábado (24), depois que um caça teria supostamente abatido uma aeronave considerada hostil. Ela percorria rota conhecida pelo tráfico de drogas e não detinha plano de voo. A interceptação e acompanhamento tiveram início ainda no Estado de São Paulo, porém a aeronave cruzou a fronteira com o Paraguai.


Em nota, a FAB confirmou a operação e que “todas as medidas legais de controle foram adotadas”. Isso significa que o decreto nº 5.144/04, conhecido como Lei do Abate, teria sido cumprido em sua totalidade.
Dessa forma, os pilotos do caça de interceptação fotografaram, verificaram matrícula e proprietário da aeronave, além de tentar comunicação via rádio e por sinais visuais com o piloto. Tais passos antecederam tiros de advertência com munição traçante na lateral da aeronave e sua possível destruição, em vista de não ter havido resposta aos procedimentos anteriores.
Moradores registraram em vídeo parte da ação em Japorã, município que teve equipes mobilizadas em solo para localizar a aeronave. Os trabalhos, no entanto, foram encerrados no domingo (25). CORREIO DO ESTADO

Comentarios

Más popular

Arriba