Otros

Polícia descobre idoso defumando cadáver da esposa dentro de casa

Polícia descobre idoso defumando cadáver da esposa dentro de casa em Roraima
img_9019
Herbert Pratt, de 69 anos, foi detido e levado à delegacia neste sábado (5).
Corpo da esposa dele foi descoberto por crianças que chamaram a polícia.

Emily CostaDo G1 RR

Herbert Pratt, de 69 anos, foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos (Foto: Emily Costa/G1 RR)

O guianense Herbert Pratt, de 69 anos, é suspeito de guardar e defumar o corpo da esposa, Verônica Beatrice Grant, de 66 anos, por 15 dias. O caso veio à tona após policiais militares da Força Tática encontrarem o cadáver na casa onde o casal morava, às margens do igarapé Uai Grande, na BR-174, em Boa Vista.

À polícia, Pratt, que não sabe falar português, admitiu que estava ‘guardando’ o corpo e fazendo a defumação, mas não explicou o que o levou a isso. Ele também disse que a mulher morreu devido a uma doença.

Conforme os policiais, o cadáver foi achado após crianças que brincavam no igarapé próximo ao imóvel sentirem um ‘cheiro estranho’ vindo do local. Elas se aproximaram de um dos cômodos e o viram.

“Depois disso, o idoso ameaçou jogar água quente nelas e um grupo de adolescentes o amarrou em uma árvore para controlá-lo. Em seguida, um homem que estava no igarapé nos chamou e encontramos o corpo”, informou um policial.

Segundo peritos, Verônica deve ter morrido há pelo
menos 15 dias (Foto: Emily Costa/G1 RR)

O cadáver foi encontrado dentro da casa. Ele estava em cima de uma cama e coberto por um lençol. “O marido ainda colocou uma tábua vedando a entrada no local, provalvemente para escondê-lo”, relatou o PM.

Equipes do Instituto Médico Legal (IML) e da Delegacia Geral de Homicídios (DGH) foram ao local e descobriram que a idosa provavelmente morreu após o dia 15 de novembro. Ela estaria doente, mas as causas da morte ainda não foram esclarecidas.

Um servidor do IML disse ao G1 que o corpo estava em estado de decomposição, apesar de ter ficado ‘seco’ por causa da defumação. “Não sabemos precisar o dia em que ela morreu, mas deu pra ver que o corpo estava conservado e sem água, porque ele [o marido] provavelmente fez várias sessões para defumar”, explicou.

O servidor disse ainda que o idoso fazia a defumação dentro do próprio quarto. “Ele colocava lonas em volta do corpo, fazia fogo e jogava a fumaça sobre o cadáver. Acreditamos que ele fazia isso devido a algum costume cultural, mas não dá para afirmar nada com certeza antes de realizar todos os exames”, frisou.

Homem diz que esposa estava doente
De acordo com a polícia e o IML, Verônica provalvelmente morreu devido a causas naturais. Ela, segundo o marido, estava doente e durante a perícia na casa foi encontrado um exame feito no dia 15 de novembro.

Após os procedimentos na residência do casal, o guianense foi levado ao 5º Distrito Policial para prestar esclarecimentos. Conforme um policial, o cônsul da República Cooperativista da Guiana em Roraima será acionado para decidir o que será feito com o idoso. A polícia não soube informar se o casal vivia legalmente no Brasil.

As causas da morte da mulher serão investigadas pela DHG. O corpo foi levado para exames no IML. Até a publicação desta matéria, o guianense Herbert Pratt aguardava para prestar depoimento ao delegado plantonista.
PUBLICIDADE.
capa 2

Comentarios

Más popular

Arriba