Otros

Pão e café puxam alta e deixam cesta básica mais cara em 3,4%

Pão e café puxam alta e deixam cesta básica mais cara em 3,4%

O valor da cesta básica do mês de março é 3,42% maior que fevereiro, aponta estudo realizado pelos acadêmicos do curso de Ciências Econômicas da Face (Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Economia) da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) realizado entre os dias 30 e 31 de março. A pesquisa tem como base os produtos apontados conforme apontados pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-econômicos). Açúcar, arroz, banana, batata, café, carne, farinha de trigo, feijão, leite, margarina, óleo, pão francês e tomate são as mercadorias de preços tomados.

Os valores da cesta básica de fevereiro com estes produtos ficaram em R$ 370,61, em média, significando 42,11% do salário mínimo vigente, de R$ 880. Já no mês de março, o trabalhador douradense teve que destinar uma quantia maior para a compra dos produtos componentes da cesta básica que foi de R$ 383,28 o que equivale a 43,55% do salário.

VILÕES

Dos 13 produtos que compõem a cesta em Dourados, 10 apresentaram elevação de preços no mês de março se comparando com o mês anterior. Foi o caso do pão-francês com 8,26% e café 7,70%. Já os outros componentes e que também tiveram alta são o feijão com 6,05%, batata 5,66%, tomate 5,17%, manteiga 4,20%, óleo 3,69%, banana 3,10%, leite 3,05% e açúcar com 2,65% de elevação.

“Nossa recomendação é a de sempre aos consumidores, que apesar do aumento na maioria dos produtos como foi constatado, ainda compensa a pesquisa de preços antes de ir às compras destes produtos, percebe-se uma diferença significativa entre um estabelecimento e outro, com isso, o gasto tende a diminuir. Outra sugestão que fazemos é a de verificar também os levantamentos realizados pelo Procon devido ao método adotado qual é a de comprar os preços por estabelecimentos”, relatou o professor Enrique Duarte Romero, idealizador da pesquisa.

CAMPO GRANDE

Comparado com a capital do Estado, Campo Grande, o preço da sua cesta foi de R$ 394,04 maior que a de Dourados. Mesmo assim, o valor médio praticado no município é superior aos preços de 14 capitais estaduais.

OUTRAS CAPITAIS Tendo como base o Dieese, a pesquisa aponta que entre as capitais, o maior custo da cesta básica foi registrado em Brasília R$ 444,74; seguida de São Paulo com R$ 444,11, Já na capital de Santa Catarina, Florianópolis, a cesta foi de 441,06.

Os menores preços médios foram verificados em Rio Branco com R$ 342,66; em Maceió R$ 342,55 e com o menor preço da cesta básica do país no mês de Março foi registrado na cidade de Natal com R$ 325,98.

As capitais que tiveram a maiores altas no mês de março se compararmos com o mês anterior foram Vitória com 4,19%, logo a seguir Palmas com 3,41% e Salvador 3,22%. E as capitais que apresentaram as maiores quedas foram: Manaus com uma diminuição de 12,87%; e Boa Vista com -7,05%.

Comentarios

Más popular

Arriba