Brasil

Na Caravana, idosa agenda cirurgia e resgata sonho de voltar a costurar

Há dois anos Zizi da Cruz Santos, 60, precisou deixar a costura, que além de ofício lhe trazia muito prazer no dia-dia. O motivo foi o agravamento da catarata que já tinha e a necessidade de fazer uma cirurgia. Desde então, estava na fila do SUS (Sistema Único de Saúde) à espera do procedimento. Decidiu então procurar o atendimento na Caravana da Saúde e viu no evento uma oportunidade para voltar às práticas de costureira.

Ela chegou por volta de 4h de quinta-feira (14) no Complexo Esportivo Jorge Antônio Salomão, o “Jorjão”, para garantir uma vaga e conseguiu. Foi atendida por volta de 15h para consulta com oftalmologista, mas garante que a espera valeu a pena.

“Eu fiquei o dia todo aqui, mas fui bem atendida. Se comparado ao que eu venho esperando, isso aqui é muito pouco tempo”, afirmou ela.

Com a consulta feita, recebeu encaminhamento para realizar a agenda da cirurgia de catarata que tanto espera, já na Caravana. “Eu vou fazer a cirurgia de um olho, que é o que a doença está mais avançada, do outro vou continuar tratando”, explicou.

Desde que a doença se agravou, Zizi enxerga tudo embaçado, mesmo usado óculos que, segundo ela, já devem estar ultrapassados para o que precisa. Emocionada, contou com entusiasmo que a primeira coisa que vai fazer quando voltar a enxergar bem é costurar. “Hoje eu não consigo nem colocar a linha numa agulha. Quando estiver vendo bem, vou voltar todas as minhas costuras”, relatou. Ela disse que não tem aposentadoria e que a costura é seu ofício e ganha pão.

Antônio Justino fez consulta e agendou cirurgia de catarata na caravana (Foto: Fabiane Dorta)
Antônio Justino fez consulta e agendou cirurgia de catarata na caravana (Foto: Fabiane Dorta)
O lavrador aposentado Antônio Justino de Oliveira, 75, também está ansioso para voltar a enxergar. Ele já perdeu 50% da vista de um dos olhos e o outro também tem catarata. Um apreciador da leitura, o idoso não titubeia ao dizer que a primeira coisa que fará quando poder ver bem de novo é voltar a ler. “Eu gosto de ler, se puder fazer isso vou ficar mais contente”, disse ele que hoje, tem dificuldades de ler letrinhas miúdas.

Oliveira trata catarata por mais tempo, mas a espera na fila pela cirurgia já tem cinco meses. Diz que no começo sentia muita coceira e saia muita água, mas depois do tratamento os sintomas melhoraram. Porém a vista fica embaçada o tempo todo.

Além daqueles que precisam de cirurgia, também procuram a Caravana os que fazem acompanhamento da doença. “Eu tenho catarata, mas não é caso de cirurgia. Só que eu sempre faço as consultas para acompanhar, então aproveitei para vir aqui na Caravana”, afirma Odete de Castro Recalde, 52, aposentada. Ela faz o controle da doença desde os 35 anos de idade pelo SUS. “Eu cheguei aqui às 5h e estou saindo agora [15h], mas vale a pena porque a gente já sai com a solução”, relatou.

Odete fez consulta durante a Caravana da Saúde (Foto: Fabiane Dorta)
Odete fez consulta durante a Caravana da Saúde (Foto: Fabiane Dorta)
Ontem, primeiro dia da Caravana, foram priorizados os atendimentos com consultas de oftalmologia e agendamento das cirurgias, como as de catarata. O serviço é da chamada demanda espontânea, ou seja, a pessoa pode procurar diretamente o evento para ser atendido. Preferencialmente aquelas que têm acima de 55 anos de idade. São realizadas pelo menos mil consultas de oftalmologia por dia durante o evento.

Nesta sexta-feira (15), essas consultas continuam. Além disso, começam as consultas de especialidades, porém não são de demanda espontânea. Essas são direcionadas àquelas pessoas para as quais a Secretaria Municipal de Saúde ligou fazendo o agendamento para serem atendidas na Caravana.

Com sede no Jorjão e apoio de hospitais para realização das cirurgias, a Caravana da Saúde segue até o dia 26 em Dourados. Os Dias “D” serão desta sexta-feira até domingo (17), quando além de serviços de saúde haverá atuação de parceiros. As ações acontecem das 7h às 17h.

Comentarios

Más popular

Arriba