Otros

Japoneses conhecem modelo de segurança na fronteira do Brasil

Japoneses conhecem modelo de segurança na fronteira do Brasil

O general Rui, recepcionando general Kiyofumi Iwata, chefe do Estado Maior das Forças Terrestres de Auto Defesa do Japão, que veio acompanhado da esposa Akemi Iwata- Fotos: Joandra Alves
O general Rui, recepcionando general Kiyofumi Iwata, chefe do Estado Maior das Forças Terrestres de Auto Defesa do Japão, que veio acompanhado da esposa Akemi Iwata- Fotos: Joandra Alves

Comitiva japonesa visitou a 4ª Companhia de Cavalaria Mecanizada -Brigada Guaicurus- para conhcere o projeto Sisfron (Sistema de Monitoramento de Fronteira), na manhã desta quinta-feira (25). Entre os 12 integrantes estava o general Kiyofumi Iwata, chefe do Estado Maior das Forças Terrestres de Auto Defesa do Japão, que veio acompanhado da esposa Akemi Iwata.

O grupo chegou ao Brasil na última segunda-feira (22) e se encontrou com representantes do Ministério da Defesa. Além de Dourados eles também visitaram o Centro de Instrução de Guerra na Selva, em Manaus. De acordo com o general de Brigada, Rui Yutaka Matsuda, destacou que a visita do comandante das forças armadas japonesa e acompanhantes abre a possibilidade de um possível intercambio.

“A visita da comitiva do comandante das forças armadas do Japão com 12 integrantes, consiste em conhecer a Brigada e também o Sisfron, já que o projeto atraiu no último ano a visita de vários lugares, como os Estados Unidos, os 27 adidos de outros países e isso vem chamando atenção dos demais. A visita auxilia na possibilidade de troca de intercambio, já que lançamos junto a ideia de um polo Sisfron de desenvolvimento e comunicação, projeto econômico e social com o apoio de várias entidades, instituições de ensino entre outros do município, na busca de formação e cooperação”, comentou.

Sobre novas visitas, o general conta que o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, convidou o também ministro da Defesa da Argentina, para visitar o projeto, assim como alegou que a presidente Dilma Rousseff, também virá a Dourados para conhecer a Brigada e também o sistema.

Além de conhecer o funcionamento do projeto com os equipamentos, puderam acompanhar simultaneamente uma ação dos militares durante uma abordagem em uma região de fronteira do qual é realizado o monitoramento.

Sisfron

O Sisfron entrou e funcionamento em novembro do ano passado em Dourados, cidade que recebe o piloto do projeto que visa monitorar toda a área de fronteira do país. O investimento total é de aproximadamente R$ 12 bilhões, com previsão de implantação até 2017. No Mato Grosso do Sul, os recursos consumidos foram de aproximadamente R$ 900 milhões, operando em 600 quilômetros da fronteira do Estado.

No sistema, uma central de comando e controle instalada na sede da Brigada Guaicurus monitora todas as ações ou operações desenvolvidas pelos militares na faixa de fronteira e gerencia possíveis ordens do comando para deslocamento de tropas, entre outras atividades de segurança.

Dezenas de caminhões estão equipados com salas modernas de monitoramento funcionam como unidades móveis de controle interligadas ao comando central. Operadores tem acesso a computadores que estão conectados não apenas a sala de monitoramento dentro da Brigada, como também a satélites que detalham posicionamento e produzem imagens mais amplas.

Os militares que trabalharão em ‘terra’, assim como aqueles que estarão em helicópteros, possuem equipamentos de câmera de última tecnologia e registram toda a ação. Esses dados são transmitidos ‘ao vivo’ para as centrais de monitoramento e comando que armazenam os dados para definir estratégias futuras ou para definir movimentações imediatas durante as operações, como perseguição a criminosos, por exemplo. São utilizados ainda radares e sensores que identificam movimentações suspeitas e também aeronaves não tripuladas.

Comentarios

Más popular

Arriba