Otros

Interdição da MS-180, pode gerar novo caos no trânsito de Amambai

Seguindo orientação da Agesul, a Defesa Civil interditou por completo o tráfego entre Juti e Iguatemi.

Asfalto deteriorado pelo tráfego pesado na altura da ponte sobre o Rio Panduí que separa a região central da cidade da Vila Limeira, a vila mais populosa de Amambai. (Fotos: Vilson Nascimento)

Vilson Nascimento

A interdição da Rodovia MS-180 entre Juti e Iguatemi anunciada no final da tarde dessa segunda-feira, dia 4 janeiro, deverá voltar a desviar todo o trânsito, inclusive o tráfego pesado da BR-163, que também está interditada entre Itaquiraí e Eldorado, para as rodovias estaduais da região de fronteira e consequentemente novamente para o centro da cidade, em Amambai.

A cidade de Amambai, cujo anel viário foi promessa não cumprida do então governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli e também é promessa do atual governador, Reinaldo Azambuja, é cortada por dois trechos de rodovias estaduais, a MS-156 que liga Caarapó a Tacuru passando pelo centro da cidade, em Amambai e a MS-386 que liga Sanga Puitã em Ponta Porã a MS-156.

O encontro das duas rodovias que formam parte da chamada “Guaira-Porã” e com a interdição da MS-180 passa a ser a principal rota para quem segue de Mato Grosso do Sul, do Mato Grosso e dos estados das regiões Norte e Centro-Oeste para os estados do Sul do País e vice e versa, acontece na Avenida Pedro Manvailler, bem no coração comercial da cidade.

No mês passado a “Cidade Crepúsculo” como também é conhecida Amambai, teve que suportar por cerca de uma semana todo esse tráfego.

Além de causar um verdadeiro nó no trânsito local, fator que inclusive levou a Prefeitura a instalar placas proibindo o estacionamento de caminhões e carretas na região central da cidade, o tráfego pesado intenso deixou um legado que em muitos pontos ainda nem chegou a ser recuperado pela Prefeitura em virtude das chuvas frequentes, que foram buracos na pista e asfalto deteriorado em vários pontos da avenida principal.

Rodovias também estão deterioradas

A interdição da MS-180 se deu, segundo a Defesa Civil de Iguatemi, por orientação da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) tendo em vista que em um ponto dos mais de 90 quilômetros ligando Juti a Iguatemi ocorreu um desmoronamento que atingiu parte da estrada e devido a vários trechos da rodovia que ainda nem foi inaugurada, já estarem danificados por conta do tráfego intenso e o grande volume de chuva.

Acontece que as rodovias que servem como principais rotas para desvio, ou seja, a MS-156 e a Guaira-Porã, não estão em estado tão diferentes.

Sem manutenção por parte do Governo do Estado, trechos dos 77 quilômetros da MS-156 entre Amambai e Caarapó estão praticamente intransitáveis.

A Guaira-Porã, (MS-386/MS-156 e MS-295) ligado Sanga Puitã a BR-163 em Eldorado, cuja inauguração do recapeamento foi realizada no final do ano 2014 pelo Governo do Estado e a manutenção ainda estaria, segundo a Agesul, sob responsabilidade das empresas que realizaram o trabalho de recapeamento, também tem vários trechos totalmente deteriorados ao longo de seus aproximados 250 quilômetros.

Não se vê equipes de manutenção trabalhando nesses trechos de rodovias e o problema deverá se agravar ainda mais com a volta do aumento do fluxo, sobretudo de veículos de carga por conta das interdições na BR-163 e na MS-180.

Fonte: A Gazeta News

Comentarios

Más popular

Arriba