Otros

Hackers protestam contra limite da internet fixa e vazam dados da Claro

Um grupo de hackers vazou dados pessoais do presidente e de outros executivos da operadora de telefonia Claro. A ação foi um protesto contra as empresas que fornecem serviços de internet para que elas não adotem a prática de limitar a banda larga fixa, como já é feito com a internet móvel.

A ação, que faz parte de uma operação maior chamada “OpOperadoras”, foi liderada pelo grupo hacker ASOR Hack Team que atua como uma célula do movimento ativista Anonymous. Foram revelados nas redes sociais, informações sobre o parentesco, número do CPF, data de nascimento, telefone e endereço de cinco pessoas que atuam na companhia.
20160823172640
A assessoria de imprensa da Claro informou que a empresa irá se posicionar sobre o assunto em breve. Iremos atualizar a nota assim que isso acontecer.

Essa não foi a primeira ação dos hackers da ASOR. Neste mesmo mês, eles já haviam atacado o site da construtora Cyrela e vazado e-mails pessoais de funcionários da companhia. Os invasores protestavam contra a construção de outro campo de golfe no Rio de Janeiro, projeto que, segundo os hackers, rendeu 10 milhões de lucro pagos com dinheiro público à construtora.

olhardigital

Comentarios

Más popular

Arriba