Brasil

Força Nacional fará a segurança durante votação do impeachment

Força Nacional fará a segurança durante votação do impeachment

Mapa mostra divisão de grupos contra e favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff durante votação do processo (Foto: Secretaria de Segurança Pública do DF/Divulgação)

O governo do Distrito Federal afirmou que vai contar com a ajuda da Força Nacional para evitar conflitos entre grupos pró e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff durante a votação do processo, prevista para ocorrer no próximo domingo (17). Desde esta sexta o Executivo já estava proibindo acampamentos em todo o Eixo Monumental. O GDF diz que o reforço faz parte dos protocolos de segurança para grandes eventos.

Nós montamos um comitê de pacificação com interlocutores de cada lado para garantir a segurança durante as votações do impeachment. O comitê também elegeu dois representantes de cada grupo, e fizemos o credenciamento junto à Secretaria de Segurança”

Márcia Alencar,
secretária de Segurança Pública do DF

De acordo com a secretária de Segurança Pública e Paz Social do DF, Márcia Alencar, os grupos serão divididos: os pró ficarão em um ponto de concentração próximo à Catedral Metropolitana (do lado do Eixo Monumental que fica no sentido do Congresso); os contra, perto do Teatro Nacional (do lado do Eixo Monumental no sentido contrário ao Congresso). Os pró não poderão estacionar na Asa Norte. Os contra estão proibidos de parar os carros na Asa Sul.

Trios elétricos não poderão circular na Esplanada. Eles só poderão ficar estacionados nas áreas específicas, no limite de um para cada movimento. Ainda de acordo com a secretária, não será permitido levar garrafas de vidro, hastes de madeira ou fogos de artifício. Megafones serão recolhidos.

“Balões aéreos, de identificação dos movimentos, e bonecos e/ou símbolos provocativos ou ofensivos estão proibidos, independente do tamanho”, completou. Usados nos últimos protestos, patos infláveis e pixulecos também constam na lista de itens proibidos.

A secretária de Segurança Pública do DF, Márcia Alencar, durante coletiva sobre esquema policial durante votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff

Alambrados serão instalados para evitar que os grupos pró e contra possam se ver. Além da Força Nacional, equipes das polícias Civil, Militar e Legislativa, Corpo de Bombeiros, Detran também atuarão na “Operação Esplanada” no período. O efetivo combinado pode chegar a 4.750.

 

COMISSÃO DO IMPEACHMENT

Deputados discutem e votam relatório

o pedidoo relatórioa defesafrases dos deputados

“Nós vamos reforçar a proteção ao patrimônio, com policiais destacados para proteger o Palácio do Planalto, o Ministério das Justiça, o Ministério das Relações Exteriores [Palácio do Itamaraty], o Supremo Tribunal Federal. O Congresso [Nacional] quem vai proteger é a Polícia Legislativa, declarou.

Márcia afirmou que o bloqueio do tráfego na Esplanada começa à meia-noite do dia 15, entre a catedral e a L4. Os veículos só poderão circular pelas vias N2 e S2. “Durante a semana poderão ocorrer interrupções do trânsito devido às manifestações.”

“Nós montamos um comitê de pacificação com interlocutores de cada lado para garantir a segurança durante as votações do impeachment. O comitê também elegeu dois representantes de cada grupo, e fizemos o credenciamento junto à Secretaria de Segurança”, disse a secretária. Além disso, haverá um posto médico fixo na Esplanada para atender manifestantes.

Márcia afirmou ainda que solicitou ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) que peça a retirada do pato inflável de 20 metros da Fiesp, instalado na Esplanada dos Ministérios em protesto pelo impeachment. “Nós consideramos insegura a permanência do pato para a segurança dos protestos. Nós já solicitamos, e até as 18h de hoje [sábado] esse pato tem de ser retirado.”

Análise e votação
A análise do processo de impeachment pelo plenário da Câmara dos Deputados deve começar na próxima sexta-feira (15). A votação está prevista para o domingo (17). Todos os 25 partidos políticos com representação na Casa terá direito a uma hora de pronunciamentos no plenário. Os servidores deverão acessar a Casa pelo Anexo IV.

Apenas deputados, servidores, jornalistas credenciados e prestadores de serviço poderão entrar nas dependências da Câmara entre os dias 14 e 21 de abril. A decisão de restringir o acesso, segundo a direção da Câmara, foi tomada por questões de “segurança e proteção das pessoas e do patrimônio físico, histórico e cultural da instituição”.

A Mesa Diretora da Casa vai distribuir uma credencial específica para que o grupo possa circular pelo Salão Verde e entrar no plenário no período. Visitas institucionais às dependências do prédio estão suspensas entre esta segunda-feira (11) e o dia 21 de abril, assim como as sessões solenes e outros eventos que seriam realizados no período.

Acampamentos
A área da Esplanada é comumente utilizada para acampamentos de entidades e movimentos sociais. A Secretaria de Segurança Pública e Paz Social informou que o acampamento montado na última semana próximo à Praça dos Três Poderes por um grupo a favor do impeachment será transferido para outro local, ainda em definição.

A mesma medida será tomada com relação à montagem de um acampamento organizado no estacionamento do Teatro Nacional pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). O local também ainda não foi definido.

Fonte: G 1

Comentarios

Más popular

Arriba