Otros

Família descobriu depois de três horas que criança foi baleada no RJ

Parentes não ouviram tiros antes dela ser ferida.
Menina de cinco anos foi baleada na cabeça enquanto brincava.

A tia de Ana Beatriz Duarte de Sá, menina baleada na cabeça no último domingo (6), afirmou que os familiares só descobriram que ela foi atingida três horas depois do episódio. A menina, de 5 anos, estava brincando com primas em uma varanda na casa do tio em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Ela foi encaminhada para o Hospital Alberto Torres, também em São Gonçalo. Lá, ela passou por operação e seguia internada em estado gravíssimo na manhã desta quarta (9).

Segundo parentes, a demora aconteceu porque não foram ouvidos tiros. “Depois de três horas que foram descobrir que ela foi baleada, ninguem viu nada e nem ouviu nada. Ai está todo mundo em estado de choque”, disse a tia Cristiane de Souza, lembrando que as pessoas que estavam no local não tinham ouvido tiros.

A mãe da menina, Diana da Cruz, lamentou o episódio e afirmou que a situação é muito difícil. “É dificil porque é minha filha. Mas eu sei que Deus vai estar lá do ladinho dela e vai ajudar a sair dessa”, afirmou a mãe.

Parentes de Ana Beatriz contaram que ela estava com outras crianças, na Travessa Manuel Luiz de Souza, quando caiu na rua. Alertado pelos amigos da menina, o tio socorreu a menina e se assustou quando percebeu que sua nuca sangrava. Somente no Hospital Infantil Darcy Vargas, no bairro Zé Garoto, a família descobriu que Ana Beatriz havia sido atingida por um tiro e que o projétil estava alojado em sua cabeça. A menina foi então transferida para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, e internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) infantil.

PM nega operação no local
O comando do 7º BPM (São Gonçalo) informou que, no domingo, policiais militares foram informados que a menina havia sido socorrida num posto de saúde após ser baleada e, em seguida, transferida ao Hospital Alberto Torres. O comando do batalhão ressalta que não houve operação policial na localidade e que há informações de que teria ocorrido um confronto entre criminosos em Santa Catarina.

Parentes de Ana Beatriz disseram a agentes da 72ª DP (Mutuá) que o local em que a menina foi ferida fica próximo à Rua da Feira, palco de frequentes confrontos entre integrantes de facções criminosas rivais.

Comentarios

Más popular

Arriba