Otros

Falso médico atende em hospital e vai preso depois de morte de paciente

Falso médico atende em hospital e vai preso depois de morte de paciente

A Polícia Civil prendeu na tarde de ontem (26) em Campo Grande, Marx Honorato Ortiz, 38 anos, acusado de exercício ilegal de profissão e homicídio, na cidade de Paranhos. O ‘falso médico’ teria atuado no hospital municipal daquela cidade por dois meses e seria responsável pela morte do paciente João Maria Padilha da Silva, 56, ocorrida em dezembro último.

De acordo com o portal do jornal Correio do Estado, ele foi preso por volta do meio-dia, em casa, no bairro Monte Castelo.

A delegada Christiane Araújo Rocha, da 7ª DP, informou que em Paranhos Marx usou documentos em nome do médico M.M.P. para ser contratado.

O caso veio à tona no dia 14 de dezembro, quando João Padilha deu entrada no hospital municipal, por volta das 13 horas, com dor de cabeça e vomitando sangue. O falso médico atendeu o paciente e disse que se tratava de “problema emocional”, dando-lhe alta para ir de volta para casa.

Ainda conforme o site, por mais duas vezes, no mesmo dia, familiares de João Padilha o levaram ao hospital, obtendo o mesmo diagnóstico do “plantonista”, que também não autorizou a transferência dele para outro estabelecimento.

À noite o paciente morreu. A família da vítima denunciou o caso à polícia e o falso médico fugiu da cidade. Os investigadores chegaram ao médico M.M.P., de Campo Grande, que comprovou nunca ter trabalhado em Paranhos.

O criminoso foi identificado e denunciado pelo Ministério Público Estadual, com pedido de prisão preventiva, por homicídio doloso (intencional) e exercício ilegal de profissão.

Ele também está sendo indiciado por falsidade ideológica, pelo uso do nome de M.M.P. Marx não apresentou documento que comprovasse qualquer titulação na área de saúde.

Comentarios

Más popular

Arriba