Economia

Eike nega negócios com Bumlai e diz ‘voltar ao mercado’ em dez dias

Em depoimento à CPI do BNDES, o empresário negou manter qualquer tipo de negócios com José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula que é investigado pela Operação Lava Jato por suspeita intermediação de propina no esquema de corrupção na Petrobras; “Nunca tive nada com o senhor Bumlai. Nunca paguei nada a ele. O encontrei duas vezes. Meu relacionamento com o BNDES não tem relação com políticos”, afirmou Eike; ele negou estar falido e disse esperar “voltar ao mercado” nos próximos dez diaseike

Agência Câmara – O empresário Eike Batista negou, em depoimento à CPI do BNDES, ter negócios com o empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula investigado pela Operação Lava Jato por suspeita de ter intermediado pagamentos de propina de empresas contratadas pela Petrobras.
“Nunca tive nada com o senhor Bumlai. Nunca paguei nada a ele. O encontrei duas vezes. Meu relacionamento com o BNDES não tem relação com políticos”, disse, ao responder pergunta do deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), um dos autores dos requerimentos para sua convocação.

Jordy questionou o empresário a respeito de denúncias de que a empresa OGX teria usado recursos do Fundo da Marinha Mercante, financiamento feito com a destinação exclusiva para a construção de navios-plataforma, para outros fins.

“Isso nunca existiu”, respondeu o empresário.

“Mas o senhor continuou a atrair investidores, mesmo depois de constatar que não havia petróleo suficiente nos seus campos, o que deu prejuízos”, rebateu o deputado.

“Eu tinha um fundo soberano com meu sócio da holding (OGX). O fundo tinha como garantia as ações da companhia. Todo o dinheiro obtido com a venda das ações foram direcionados para pagamento dos credores”, explicou Batista.

Batista voltou a afirmar que o BNDES não teve qualquer prejuízo com os financiamentos feitos a empresas de seu grupo. E revelou que, como deu garantias pessoais a todos os financiadores de seus projetos, seu patrimônio, hoje, é negativo em 1 bilhão de dólares.

“Então o senhor está falido?”, perguntou Jordy.

“Não estou falido. Espero resolver isso nos próximos dez dias e voltarei ao mercado”, respondeu o empresário.

“O senhor é um fenômeno”, ironizou o deputado, que disse não estar satisfeito com as explicações fornecidas pelo empresário a respeito das acusações de que deu prejuízos a investidores e manipulou o mercado ao ocultar a baixa produtividade dos poços de petróleo obtidos pela OGX.

“Eu sei”, respondeu Batista, que provocou risos na audiência pública.

“O senhor, de bobo, não tem nada”, concluiu Jordy.

Comentarios

Más popular

Arriba