Economia

Dólar cai para menos de R$ 3,90 depois de aumento de juros nos EUA

O mercado financeiro tem uma quinta-feira (17) de ajuste, após a tensão gerada na véspera pela decisão da agência de classificação de risco Fitch de retirar o selo de bom pagador do Brasil. A medida já era esperada pelos investidores, o que amenizou a reação negativa na sessão.

Colabora para a queda do dólar nesta quinta-feira a avaliação positiva sobre o ritmo lento e gradual previsto para o ciclo de aumento de juros nos Estados Unidos, iniciado na véspera, conforme sinalizou a presidente do Federal Reserve (banco central americano), Janet Yellen.

Às 13h30 (de Brasília), o dólar à vista, referência no mercado financeiro, tinha desvalorização de 1,11%, para R$ 3,882 na venda. Já o dólar comercial, utilizado em transações de comércio exterior, caía 0,99%, para R$ 3,882.

O Fed elevou a taxa de juros americana em 0,25 ponto percentual, para o intervalo entre 0,25% e 0,50% ao ano. Foi a primeira alta desde junho de 2006. O mercado já esperava pela decisão, uma vez que a autoridade americana preparou os investidores desde o ano passado, através de seus discursos e comunicados, para o início do aperto monetário.

A preparação do Fed para o início do aumento de juros amenizou a expectativa de fuga de recursos hoje aplicados em países emergentes para os EUA, o que encareceria o dólar. Isso porque a mudança deixa os títulos do Tesouro americano, cuja remuneração reflete a taxa de juros daquele país, mais atraentes que aplicações em emergentes, considerados de maior risco. (

FOLHAPRESS)

Comentarios

Más popular

Arriba