Brasil

Denguetech: Novo produto contra o mosquito transmissor estará disponível em 2016

Medicamento terá efeito rápido e validação por cerca de dois meses.

Produto deverá ser aplicado onde há acúmulo de água para a eliminação de larvas do mosquito (Foto: divulgação / Vivo Mais Saudável)
O verão está chegando e o aedes aegypti está pronto para atacar com mais velocidade. Para que a população brasileira não seja pega de surpresa, a lançou no seminário Vigilância em Saúde das Doenças Virais Chikungunya, Zika e Dengue: Desafios para o controle e a atenção à Saúde , um novo produto para o combate ao moquito transmissor: o DengueTech. Mas o que será isso? O produto é um bioinseticida em forma de pastilhas que deverá ser aplicado onde há acúmulo de água para a eliminação de larvas do mosquito da dengue.
PUBLICIDADE:
MERCADO ECONOMIA
Após quatro anos de produção, a fórmula construída pela Fiocruz gera grande satisfação para o diretor do Instituto de Tecnologia de Fármacos, Hayne Felipe da Silva. “O método é inovador e não tem qualquer contraindicação”, conta ele, que acredita no sucesso do produto para o extermínio do inseto. “Todo esse trabalho fez com que nós chegássemos a um produto com nível de persistência muito maior do que aqueles hoje colocados no mercado, ecologicamente correto e sem nenhum risco para a saúde humana.”
PUBLICIDADE:
anuncie7
Para que o DengueTech esteja disponível no mercado, a empresa , em parceria com a Fiocruz, acelera a produção. Segundo o diretor, Rodrigo Perez, o bioinseticida está previsto para entrar no mercado no início de 2016. “Inicialmente, o produto será comercializado por empresas especializadas de modo a assegurar que seja usado de forma correta e atenda à necessidade do consumidor para que num segundo momento seja vendido diretamente no varejo. O DengueTech pode ter valor base de 35 reais em um pote com cerca de 10 tabletes. A comercialização deve acontecer até o final de janeiro. ”

Mesmo com o produto prestes a chegar no mercado, Rodrigo Perez ressalta a importância da conscientização da população. “Nós temos o hábito da produção do mosquito. Vivemos milhares de anos na mata, queremos ter plantas, e aí temos que cuidar de vasos. Também a água parada nas bacias sanitárias, casa de campo, o lavabo que não é usado durante a semana, isso é suficiente para o inseto procriar.”
Bactéria Wolbachia é mais um destaque para a eliminação da dengue
Depois de um ano de constantes testes com mosquitos modificados em laboratório, a Fiocruz continua utilizando a bactéria Wolbachia como teste para impedir a transmissão da dengue. Nesse caso, as fêmeas colocam os ovos contaminados com a bactéria, eles são depositados num recipiente branco, com quatro furos, um litro de água e ração de peixe, e ao saírem do recipiente, ocorre o acasalamento. A experiência faz parte do projeto “Eliminar a Dengue: Desafio Brasil” e é utilizado em bairros como Tubiacanga, na Ilha do Governador, e em Jurujuba, Niterói.

Dez dicas importantes para o combate à dengue:

– Não deixe acúmulo de água;

– Ponha areia nos vasos das plantas;

– Faça furos nos pneus velhos;

– Cuidado com a caixa d’água;

– Remova folhas e galhos das calhas;

– Evite cultivar plantas aquáticas;

– Mantenha latas e garrafas emborcadas para baixo;

– Use telas protetoras;

– Cuide das piscinas;

– Preste atenção ao lixo.

E você, como cuida a sua casa contra o combate à dengue?
Midiamax.

PUBLICIDADE:
ALTA

Comentarios

Más popular

Arriba