Otros

Compadre’ diz que matou porque criança sofria maus-tratos em casa

Compadre’ diz que matou porque criança sofria maus-tratos em casa

O autor do assassinato de Hudson franco, de 30 anos, no dia 23 de outubro se apresentou a polícia na semana passada na companhia de seu advogado, a 6º Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande.

O delegado que cuida do caso Edmilson José Holler, da 6º Delegacia de Polícia Civil da Capital, disse ao Jornal Midiamax, que o autor prestou depoimento na semana passada e alegou que matou Hudson porque a afilhada, de 4 anos, sofria maus-tratos por parte da vítima.

“Ele alegou que o Hudson batia muito na menina”, fala Edmilson. Ainda de acordo com o delegado nesta semana a mãe da criança deve ser ouvida e o inquérito finalizado. O autor que ainda está em liberdade deve responder por homicídio doloso.

SAIBA MAIS
Dez anos depois de matar credor, mulher é presa na Capital
Corpo de homem é encontrado no porta-malas de carro abandonado em estrada
Rapaz acusado de matar motociclista em frente a Shopping irá a júri em maio
Relembre o crime

Na noite do dia 23 de outubro, Hudson Franco, de 30 anos, foi assassinado com três tiros dentro de sua residência no Jardim Santa Emília, em Campo Grande. Ele foi ferido no tórax, cotovelo e perna.

A esposa de Hudson disse a polícia que estava em sua residência com o marido e mais um amigo, quando por volta das 21 horas deste domingo (23), um homem que seria conhecido da mulher, por ser padrinho de sua filha, de 4 anos, chegou ao imóvel de posse de uma arma de fogo.

O atirador teria encontrado primeiro o amigo do casal, mas avisou que ‘não era ele’ e passou a disparar contra Hudson. Três disparos atingiram o tórax, cotovelo e a perna do homem, que morreu no local.

O autor fugiu. A polícia foi acionada e a mulher de Hudson afirmou que o motivo para o crime seria a filha da mulher, que o autor seria padrinho. A polícia não conseguiu localizar o homem.

Atentado em 2014

Hudson Franco, de 30 anos, já teria sido vítima de uma tentativa de homicídio em maio de 2014. O autor do crime também seria o padrinho da enteada da vítima, um homem de 37 anos que agora está foragido por matar a tiros o desafeto na noite deste domingo (23), Jardim Santa Emília.

Já em 2014, o desentendimento entre os dois seria a menina, hoje com 4 anos. Na época, Hudson teria pedido para a família limitar as visitas do suspeito a enteada. Por conta disso, no dia 23 de maio, a vítima conduzia uma motocicleta quando foi atropelado por um Ford Escort vinho, no Bairro São Jorge da Laguna.

Comentarios

Más popular

Arriba