Fronteira

CANDIDATURA A PREFEITO DO PSDB ENTRA EM CRISE EM PONTA PORÃ

CANDIDATURA A PREFEITO DO PSDB ENTRA EM CRISE EM PONTA PORÃ

Candidato a prefeito da coligação encabeçada pelo PSDB poderá não assumir caso venha a ser eleito na cidade de Ponta Porã, onde o mesmo continua em queda livre nas intenções dos eleitores.

O candidato a prefeito pelo PSDB Hélio Peluffo Filho, que responde processo na Justiça Estadual de Improbidade Administrativa por enriquecimento ilícito juntamente com o deputado Flavio Kayatt, caso venha a ser eleito poderá terminar condenado, e o vice Caio Augusto terá que assumir, esta situação tem gerado vários atritos no ninho tucano, onde algumas lideranças já estão a procura do novo barco a fim de não afundar com o candidato do PSDB e seu vice na cidade de Ponta Porã.

O processo que tramita na 2.ͣ Vara Cível de Ponta Porã, oferecida pelo Ministério Publico Estadual, Osmar Pereira da Cruz e Roberto Carlos Ferreira (in memoriam) cobravam e recebiam diretamente dos comerciantes e passageiros do Terminal Rodoviário de Ponta Porã quantias referentes aos alugueis dos espaços e taxa de embarque, fornecendo para isso apenas recibos simples. O fato grave constatado é que essas quantias nunca foram contabilizadas nas contas oficiais do Município, o que evidencia que as autoridades de então estariam sendo beneficiada com um tipo de caixa dois.

Na denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual, consta que, através de constatações levantadas na CPI instalada na Câmara Municipal em 2013, que o desvio poderia ter chegado a dois milhões de reais, que ate hoje se encontram em paradeiro desconhecido, mas que “Segundo restou apurado, O secretário de infraestrutura HELIO PELUFFO FILHO, o assessor LUIZ TARLEY SILVERO, o secretario de finanças JOÂO MARCOS LACOSKI, os chefes do Terminal Rodoviário OSMAR FERREIRA DA CRUZ E ROBERTO CARLOS FERREIRA, a funcionária lotada na Secretaria de Obras MADALENA MARTINS CENTURIÓN, ANTONIO MIGUEL PORTELA CHARBEL e o ex-prefeito FLAVIO KAYATT que teriam desviado dinheiro público referente a arrecadação de alugueis e taxas de embarque do Terminal Rodoviário, perfazendo uma quantia superior aos dois milhões de reais”.

O processo de número 0803322-40.2014,8,12,0019 espera a citação do ultimo réu, quando a Justiça poderá, após recebidas peças de defesa, absolver ou condenar os réus por crimes de improbidade administrativa e o desvio de dois milhões de reais.

O candidato a prefeito Hélio Peluffo Filho ainda responde a uma ação penal em na Comarca de Maracaju, onde, segundo consta no processo, a vítima Wilfrido Esteche, mais conhecido como “Tilico” após ter seu salário diminuído com relação ao que recebia na gestão anterior, buscou diálogo com o secretário Hélio Peluffo para ver possibilidades de melhorias no provento argumentando que presta serviços de auto elétrica em períodos diversos alheios ao do concurso, “quando mencionei que na época da gestão passada eu ganhava mais em meu holerite o secretário se descontrolou e apontou o dedo no meu rosto acertando meu nariz me ofendendo e mandando eu sair do seu escritório, eu retruquei as ofensas e me virei para sair, quando recebi um chute do secretário pelas costas, ele ficou descontrolado e se não fosse outros que seguraram o secretário teria sofrido mais agressões”, mencionou Wilfrido Esteche.

O processo corre sob o número 0002308-69.2014.8.12.2014, com denúncia ofertada em 23/07/2015. Hélio Peluffo Filho ao final pode ser condenado nesta ação penal.

Ante toda essa problemática, vários apoiadores já estariam procurando outro candidato a fim de embarcar em um novo projeto politico, o que deixou o candidato do PSDB com a corda no pescoço, tendo que este iniciar negociações a fim poder disputar a prefeitura de Ponta Porã e arcar com os gastos de campanha que estariam começando a migrar a outro candidato considerado do povo.

Comentarios

Más popular

Arriba