Otros

Amambai Luto: Morre aos 102 anos, pioneiro Nicanor Amaral

A família de Nicanor chegou ao então “Patrimônio União”, na época da exploração da Erva Mate e ajudou a desbravar a nova terra.

PUBLICIDADE:
banner-anuncie
164a275ad50aa83a949d256bb502486b
Amambai está de luto. Faleceu nesse domingo, dia 8 de maio, no Hospital do Coração em Dourados, onde estava internado, o pioneiro Nicanor Alves do Amaral, de 102 anos.

O velório do homem, cuja história de vida se mistura com a história do desbravamento de Amambai e da região, acontece na Câmara Municipal local.

Segundo a empresa Pax Primavera, que atende a familia, o sepultamento será manhã desta segunda-feira, dia 9 de maio, mas o horário ainda não foi definido.

Em 2014, quando completou 101 anos, o jornalista Sérgio Santos produziu um especial para o grupo A Gazeta de comunicação resumindo a trajetória pioneira de Nicanor Amaral.
11828831_757600547685573_5724605429438571405_n
Veja abaixo a trajetória pioneira de Nicanor Alves do Amaral

Por Sérgio Santos

Amambai ainda era Nhu-Verá. Caravanas iniciavam a exploração da erva-mate. As riquezas atraiam muitas famílias de outras regiões. No esteio das transformações, no dia 15 de setembro de 1913, nasceu Nicanor Alves do Amaral. São 101 (na época) anos traduzidos não em uma, mas em várias lições de vida.

Fonte inesgotável de boas histórias e referência para várias gerações, seo Nicanor está sempre bem disposto para uma prosa, revelando uma energia admirável. “Adoro passear pela cidade”, revela. Segundo ele, é uma excelente receita para resgatar boas lembranças.

Origens e família

Neto do desbravador gaúcho José Alves Cavalheiro, que liderou algumas das primeiras caravanas de exploração da erva-mate, Nicanor casou-se, em 1938, com Paulina Macena do Amaral, a dona ’Nena’.
Foram mais de sete décadas de convívio e oito filhos. Depois vieram quatorze netos, 21 bisnetos e um tataraneto. Dona Paulina faleceu em abril de 2011.
PUBLICIDADE:
ORO BLANCO

Cidadania e profissões

Nicanor Alves do Amaral foi fundador do Rotary Club. Como vereador, presidiu a Câmara. Também teve uma vida profissional das mais ecléticas, tendo atuado como professor, mecânico de máquinas leves e pesadas, chaveiro, armeiro, ferreiro, ourives e relojoeiro. Não bastasse, iniciou o ciclo da fotografia profissional no município.

Conhecido e prestigiado, trabalhava em conjunto com Dona Nena. “Muitas vezes, como durante a época das campanhas políticas, nos dividíamos para cumprir os trabalhos”, explica.

Inventor

Entre as muitas histórias, uma chama especialmente a atenção. Certa vez, após concluir um curso de eletrônica por correspondência, inventou o próprio rádio. ‘’Funcionava muito bem’’, argumenta.

Conselheiro

Com o reconhecimento, Nicanor Alves do Amaral passou a ser uma espécie de ‘consultor’. Não raro, é procurado por políticos e representantes de outros segmentos. Sem titubear, distribui conselhos com a sabedoria e a humildade de quem conhece a fundo a vida da cidade.

Nicanor guarda com apreço a placa de reconhecimento do Rotary Club de Amambai, outorga dedicada à sua ‘’visão humanista e espírito solidário’’.

Amizades não têm preço

Grato à vida, elege como maior presente a sua legião de amigos. ‘’Não vou mencionar ninguém, pois certamente deixaria alguns de fora, mas com certeza os amigos são a maior dádiva da nossa vida’’, pondera.

Fonte: A Gazeta News
INMOBILIARIA CAPITAN BADO.
PUBLICIDADE.
6c5a9e2f-cf16-4bf3-a03e-f2459fd26d7f

Comentarios

Más popular

Arriba