Brasil

3 desafios para levar o agronegócio brasileiro ao futuro

Campo de batalha

São Paulo – Em 2015, o PIB da indústria caiu 6,2% e o dos serviços caiu 2,7%, mas o agronegócio continuou brilhando.

A alta foi de 1,8%, abaixo da média de 3,9% dos últimos 19 anos mas suficiente para provar a resiliência do setor diante da crise na economia brasileira.

Publicidade

Os desafios para manter e ampliar essa performance estão sendo discutidos hoje no I Fórum do Agronegócio, Infraestrutura, Integração e Mercado de Capitais realizado em São Paulo pelo Instituto IBMEC com apoio da KMPG e da EXAME.

Mesmo diante da alta recente na inflação, foram 30 anos consecutivos de queda real dos preços por aqui e hoje o brasileiro gasta hoje uma parcela muito menor da sua renda em alimentos do que no passado.

E isso não é algo do passado ou de país atrasado. Renato Buranello, sócio da Demarest Advogados, notou que 65% do PIB agroindustrial aparece já do lado de fora da fazenda.

Márcio Lopes de Freitas, presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras, destacou o interesse da nova geração pelo negócio: a idade média do nosso agricultor é de 40 a 42 anos enquanto nos nossos concorrentes é de 60 anos.

Mas há muito o que melhorar. Veja a seguir 3 nós que precisam ser desatados para colocar o agronegócio brasileiro de vez no século XXI:

PUBLICIDADE.
14039913_1133537356702581_3683056170987761572_n

Comentarios

Más popular

Arriba