Economia

1,8% PIB da agropecuária foi o único da economia brasileira a ter desempenho positivo em 2015

O Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário, em 2015, foi o único da economia brasileira que apresentou desempenho positivo, com crescimento de 1,8%. O resultado da agropecuária foi ainda mais expressivo se comparado com os números gerais da economia no ano passado: queda de 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB), o pior índice dos últimos 25 anos, segundo divulgou nesta quinta-feira, (03/03), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) destaca que a agropecuária não está imune à recessão econômica e à crise política existente no país. A CNA lembra que, apesar do setor ter apresentado números positivos no ano passado, a taxa de crescimento foi a menor dos últimos 4 anos. A previsão é que, mantido o atual quadro econômico, o PIB agropecuário retorne aos níveis existentes em 2010, significando cinco anos de retrocesso.

Na opinião do presidente da CNA, João Martins, para que a “agricultura e a pecuária do Brasil possam seguir crescendo é absolutamente necessário que o País supere a crise atual”. Caso contrário, diz ele, o setor também será arrastado para as dificuldades que hoje atingem duramente a indústria e o setor de serviços.

Investimento e produtividade – A queda na capacidade de investimento do país, segundo a CNA, caso sejam mantidos os níveis atuais, poderá corroer todos os ganhos de produtividade obtidos pela agropecuária nos últimos anos, um dado extremamente preocupante. A CNA defende a adoção de reformas estruturantes da economia, com prioridade nas reformas tributária e trabalhista, para que a crise atual comece a ser revertida. Segundo a entidade, sem essas medidas e a reversão da crise política, a agropecuária poderá em breve apresentar, também, desempenho negativo.

O PIB positivo da agropecuária, em 2015, foi consequência principalmente do comportamento da agricultura, já que a pecuária e a silvicultura apresentaram índices frágeis em comparação com os números de 2014. Os destaques positivos ficaram por conta das culturas da soja (+11,9%) e do milho (+7,3%).

Mesmo o setor agropecuário tendo sido o único que apresentou crescimento em todos os períodos analisados no ano passado (os dados são avaliados a cada quadrimestre), o índice positivo de 1,8% representou a metade da média de crescimento apresentado ao longo da série histórica, iniciada em 1996, que é de 3,6%. Para a CNA, o índice do ano passado já refletiu os efeitos da crise econômica sobre toda a cadeia produtiva da agricultura e da pecuária.

Fonte: CNA

Comentarios

Más popular

Arriba