Policial

Polícia prende três e descobre rota da maconha de MS para Minas Gerais

Durante prisão, um dos traficantes tentou fugir e picape lotada de maconha pegou fogo em rodovia estadual

Um morador de Ponta Porã e dois moradores de Dourados foram presos pela Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira) acusados de fazer parte de uma quadrilha especializada em enviar maconha do Paraguai para Minas Gerais passando por Mato Grosso do Sul. O esquema envolvia o uso de carros roubados e clonados.

Foram presos o motorista de ônibus Valdemir Roberto Quadros, 40, residente em Ponta Porã, o estudante Pablio Ribeiro Maciel, 30, morador no distrito de Vila Vargas e o ajudante de encanador Diego Pedroso Neves, 26, residente no Jardim Santo André, em Dourados.

Polícia monitorava envolvido – De acordo com a Defron, Pablio Maciel estava sendo monitorado após as investigações revelarem que ele estava envolvido com o tráfico de drogas. Ele usava um Hyundai i30 com placa de Brasília e mantinha em sua residência um Santana com placa de Uberlândia, uma picape Strada com placa de Luziania (GO), e um Cruze com placa de Barbacena (MG).

Strada carregada de maconha pegou fogo durante fuga (Foto: Adalberto Domingos)
Todos os veículos eram usados para o tráfico de drogas. No dia 20 de janeiro deste ano, o Cruze foi encontrado abandonado no município de Inocência, com pelo menos 600 kg de maconha.
Durante as investigações, os policiais descobriram que outro carregamento de droga passaria por MS no fim de semana.

Na manhã de ontem (5), os policiais prenderam Diego Neves durante barreira montada na MS-380, no município de Laguna Carapã. Ele levava 600 quilos de maconha na Fiat Strada. Conforme a Defron, Pablio Maciel viajava no i30 e Valdemir seguia no Santana.

O bando saiu de Ponta Porã com a maconha na picape e os outros dois carros davam apoio na estrada. Valdemir viajava na frente e avisou Pablio que policiais rodoviários federais estavam parando veículos para fiscalização.

Carga queimada – Pablio determinou então que Diego seguisse pela estrada de terra até Laguna Carapã, mas no trajeto a picape foi abordada pela equipe da Defron. Como Diego tentou fugir em alta velocidade, os policiais dispararam tiros nos pneus e a Strada pegou fogo.

O veículo foi consumido pelas chamas, controladas com a ajuda de produtores rurais vizinhos. Parte da carga de maconha também foi queimada.

Pablio Maciel conseguiu fugir do cerco policial, mas foi preso em seguida próximo ao local onde foi feita a abordagem ao condutor da Strada. Segundo a polícia, ele retornou para resgatar Diego, mas os dois foram presos.

Também preso na rodovia, Valdemir Quadros disse que tinha sido contratado por Pablio por R$ 5 mil para fazer o papel de batedor de estrada de Ponta Porã até Belo Horizonte (MG).

Já Diego Neves receberia R$ 10 mil para dirigir a picape com a droga até a capital mineira. Pablio disse que seu pagamento seria de R$ 5 mil para organizar a viagem e ajudar a bater estrada para a carga.

A Defron informou que as investigações continuam, pois outros membros da organização já foram identificados. O grupo atuava no tráfico de entorpecentes na região de fronteira e mantinha ramificações em outros estados brasileiros. noticiasdoms.com

INMOBILIARIA CAPITANBADO
PUBLICIDAD:
“Lo que Buscas,Nosotros Tenemos”

==========================================

Comentarios

Más popular

Arriba