Policial

Criança desaparecida há quase 1 mês foi estuprada até a morte, diz polícia

Criança desaparecida há quase 1 mês foi estuprada até a morte, diz polícia

Delegado Paulo Sérgio Lauretto afirma que os dois suspeitos do crime já estão presos © Aline Santos
Kauan Andrade Soares dos Santos, 9 anos, foi estuprado até a morte, por um homem de 38 anos que não teve o nome divulgado. Depois de morto, o suspeito e o adolescente de 14 anos que participou do crime, jogaram o corpo no rio Anhanduí, em Campo Grande, segundo o delegado que investiga o caso, Paulo Sérgio Lauretto.

Segundo Lauretto, o menino morava no bairro Aero Rancho e passava boa parte do dia na rua, além de cuidar de carros. O adolescente narrou à polícia como o crime aconteceu.

Na noite do dia 25 de junho, o adolescente que era conhecido de Kauan, levou o menino até a casa do homem, no bairro Coophavilla. Lá, o suspeito começou a estuprar o garoto, mas como Kauan se debatia e gritava muito, o homem pediu para o adolescente segurar as mãos da criança enquanto ele tapava a boca do menino com a mão.

Minutos depois, Kauan parou de se debater e começou a sangrar pela boca. “Por volta de 1h do dia 26 de junho, o adolescente e o homem colocaram o corpo do menino em um saco preto e jogaram no rio Anhanduí”, conta o delegado.

Os policiais chegaram até o homem depois das investigações apontarem de que o pedófilo dava dinheiro para o adolescente levar crianças para a casa dele e estuprá-las. Na residência, foram encontrados vários filmes pornográficos e dois filmes do próprio homem violentando dois pré-adolescentes de 10 e 11 anos.

Ainda segundo o delegado, há indícios que o adolescente que participou do crime já tinha sido abusado pelo homem. “No depoimento o adolescente disse que Kauan começou a sangrar pela boca. Na casa, a perícia encontrou sangue na cama, no travesseiro e no quarto, confirmando a violência”.

O Corpo de Bombeiros encontrou no rio Anhanduí, um pedaço de saco plástico preto, com fios de cabelo, mas só após exames que poderá ser confirmado se realmente os cabelos eram do menino.

O homem está preso preventivamente por estupro de vulnerável e exploração sexual . Ele será encaminhado para a Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furto). O adolescente responderá pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver e será levado para a UNEI (Unidade Educacional de Internação), Novo Caminho.

As buscas pelo corpo continuam no rio. Questionado sobre a profissão do homem, o delegado afirmou que “todo pedófilo tem o perfil acima de qualquer suspeita”.

Fonte: campograndenews

Comentarios

Más popular

Arriba