Brasil

O Brasil começa um novo governo

*) Waldir Guerra

O mundo inteiro está acompanhando o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, onde tudo está sendo feito dentro das normas legais. Contudo, a confusão dentro da Câmara dos Deputados – com o afastamento do seu presidente pelo STF – faz com que a opinião pública e até mesmo governos de alguns países fiquem preocupados com a condução do processo. Quase ninguém entende o porquê disso tudo. Muito até por conta de a própria presidente insistir ser vítima de um golpe.

Certamente você também ficou confuso e não entendeu muito bem algumas explicações que economistas e políticos deram nesse processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Simplifique as coisas, então, e pense assim: ela gastou mais do que podia. Pior, gastou sem ter licença do Congresso Nacional – coisa que a Lei proíbe.

Também pegou emprestado dinheiro dos bancos estatais, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, para pagar contas do seu governo – as tais “pedaladas fiscais”. Isso também a Lei proíbe e é considerado crime. Por isso, tanto a Câmara dos Deputados como o Senado Federal, determinaram que ela fosse julgada por esses dois crimes e, tudo indica, perderá o cargo de presidente. Esse processo é legal e previsto pela nossa Constituição.

Outra coisa: quando deputados e senadores dizem “é um julgamento político”, significa que eles sabem que governos anteriores também fizeram isso; sabem que a gravidade desses crimes poderia ser suportada se a presidente estivesse fazendo um bom governo, mas como não estava. Então, foram escolhidas essas duas faltas, para pedir o seu afastamento da Presidência.

Agora veja bem, mesmo o partido da presidente Dilma Rousseff não estava satisfeito com a sua administração. Pesquisas na opinião pública davam-lhe 70% de rejeição. Na verdade, ela já nem governava mais; a economia do país vinha se deteriorando a olhos vistos; o número de desempregados passou de onze milhões.

As três agências mundiais mais confiáveis dos investidores estrangeiros passaram a considerar o Brasil como de alto risco e isso dificultou a vinda de dinheiro de fora. E nesse ponto dos investimentos de fora é importante dizer que os grandes investidores hoje são os fundos de pensão e eles são proibidos de aplicar em países que têm baixa avaliação nessas três agências: Standard and Poor´s – Moody`s – Fitch Ratings.

Acredito que a esta altura diria você: mas então por que tanto desespero para impedir o impeachment? A resposta mais correta para essa pergunta é: interesses pessoais dos políticos que estão com o governo. São milhares e milhares de empregos e cargos públicos que serão perdidos pelos partidários. Boquinhas e principalmente mordomias que acabarão. Centenas de ONGs que recebem gordas verbas públicas terão seus recursos finitos. Os interesse$ são muitos e infindáveis como se pode ver através da Operação Lava Jato.

Com essa confusão toda são poucos os que conseguem acreditar na volta de Dilma Rousseff ao poder. Até mesmo seu partido, o PT, terá muitas dificuldades para explicar aos seus eleitores as trapalhadas feitas nos seus governos. Além do que, ainda resta a dúvida se muitos dos seus importantes dirigentes não acabarão presos por conta dos desvios de recursos públicos que ainda continuam sendo investigados.

Não importa a confusão que vem acontecendo na Câmara dos Deputados, não importa o esperneio dos que estão perdendo boquinhas e privilégios, importa mesmo é que a América Latina está se livrando do bolivarianismo, o Brasil se livrando do lulopetismo e começando um novo governo.

(*) Membro da Academia Douradense de Letras; foi vereador, secretário do Estado e deputado federal. ([email protected])

Comentarios

Más popular

Arriba