Fronteira

Ponta Porã decide conscientizar pais e educadores sobre os perigos da internet

De acordo com a secretária de Assistência Social, Vera Lucia de Oliveira, a divulgação deste jogo nas redes sociais provocou o desenvolvimento desta estratégia.

A grande repercussão por conta do jogo na internet Baleia Azul expôs uma situação preocupante na fronteira: a forma com que as crianças e adolescentes estão expostas ao mundo virtual repleto de armadilhas que acabam tirando vidas e provocando a desestruturação das famílias.

Por causa disso, assistentes sociais, educadores, profissionais da saúde e voluntários criaram grupos que vão visitar as escolas e igrejas para repassar informações sobre como os pais podem agir protegendo os filhos dos perigos ocultos no mundo da internet.

Uma reunião do Conselho Municipal da Criança e Adolescente, promovida pela Secretaria Municipal de Assistência Social, definiu a forma com que este trabalho será realizado na cidade.
PUBLICIDADE:

De acordo com a secretária de Assistência Social, Vera Lucia de Oliveira, a divulgação deste jogo nas redes sociais provocou o desenvolvimento desta estratégia: “vemos hoje que as crianças estão adoecidas e que os adultos estão esquecendo as crianças, deixando-as expostas ao mundo perigoso que chega fácil através da internet”, relata.

“A gente precisa prevenir. Se não fosse o jogo da Baleia Azul seria outra coisa. Não temos como tirar o jogo da internet ou impedir o contato das crianças e adolescentes com o mundo virtual. Por isso temos que prevenir os pais. A ideia da campanha é prevenir os pais e os professores de como saber lidar com esta situação. Como tratar com as crianças nas escolas e com os pais em suas casas”, definiu Vera.

Na reunião foram criadas dez comissões formadas por profissionais que atuarão como palestrantes. “Num primeiro momento estaremos trabalhando com os educadores e com os líderes de igrejas. Precisamos falar com as igrejas que são poderosos instrumentos para fazer chegar a mensagem aos pais de que é preciso cuidado, ficarem mais vigilantes em relação aos filhos. Num segundo momento da campanha iremos trabalhar com as crianças”.

Segundo ela, “agora nossos aliados são os professores e líderes religiosos. Estas comissões que vão visitar escolas e igrejas são formadas por profissionais da política de Assistência Social, Saúde e Educação que estão presentes nos conselhos. São assistentes sociais, psicólogos pedagogos e voluntários”.PONTAINFORMA
PUBLICIDADE.

Comentarios

Más popular

Arriba