Fronteira

FRONTEIRA:Servidora do MPE ajuda quadrilha a traficar drogas para 6 cidades

Gaeco fez ação para acabar com esquema e cumprir mandados

Servidora do Ministério Público Estadual participava de esquema envolvendo organização criminosa que atuava no tráfico de drogas em Mato Grosso do Sul e em São Paulo e no golpe do seguro.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investigou a ação nesses crimes e hoje (24) cumpriu dois mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e três de busca e apreensão em Bela Vista, Caracol e São Paulo.

A Operação Casa Limpa foi deflagrada para tentar acabar com a atuação da organização criminosa que abastecia o mercado de drogas em Bela Vista, Caracol, Bonito, Bataguassu, Campo Grande e São Paulo. A região de fronteira também para que houvesse a distribuição do entorpecente para as outras cidades.

“Outra vertente criminosa da organização dizia respeito ao transporte de carros para o outro lado da fronteira (no Paraguai), com o posterior registro fraudulento de boletim de ocorrência policial de roubo, tudo com o intuito de fraudar contratos de seguro”, informou nota do Gaeco.

A funcionária do Ministério Público Estadual, que não teve o nome divulgado, trabalhava na Promotoria de Justiça de Bela Vista. Ela foi afastada pela Procuradoria-Geral de Justiça e vai responder criminalmente por tráfico de drogas e fraude, além de procedimento administrativo disciplinar que pode resultado na demissão dela.

O Ministério Público Estadual não divulgou em como era a atuação dessa servidora pública no esquema da quadrilha.CORREIO DO ESTADO

PUBLICIDADE:
CHOCA

Comentarios

Más popular

Arriba