Fronteira

FRONTEIRA. Força-tarefa encontra arsenal na casa de PM em Ponta Porã suspeito de ser pistoleiro

Três pistolas, três revólveres e duas espingardas foram encontrados na casa de Carlos Icassati por policiais do SIG e do GOI.

Um arsenal com oito armas e farta munição foi encontrado hoje (14) na casa de um policial militar aposentado em Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. Carlos Icassati é suspeito de ligação com crimes de pistolagem na região.
PUBLICIDADE.

A apreensão foi feita por policiais do SIG (Serviço de Investigações Gerais) de Dourados e do GOI (Grupo de Operações e Investigações), que estão na fronteira investigando o assassinato do policial civil Wescley Vasconcelos Dias, ocorrido no dia 6 deste mês.
PUBLICIDADE.

Os policiais cumpriam mandado de busca e apreensão expedido pela justiça quando encontraram duas pistolas calibre 40, uma pistola 9 milímetros, dois revólveres calibre 38, um revólver calibre 32, uma espingarda calibre 12 e uma calibre 22, além de dezenas de munições desses calibres. Carlos Icassati foi preso em flagrante.

Em dezembro de 2003, Carlos Icassati foi acusado junto com outros seis policiais militares pelo assassinato do corretor de imóveis Altair Cavalhero Flores Neto, em Jardim. Em julho de 2004, o grupo foi preso pelo assassinato.

Eles teriam praticado o crime a mando do então comandante da PM em Ponta Porã, Gilbson Maroni. Humberto Aparecido Rolon, outro PM acusado pelo crime, foi assassinado em Campo Grande, em outubro de 2011. O irmão de Carlos, Miguel Icassati, foi outro PM denunciado pela morte de Altair Neto.
CGNEWS

PUBLICIDADE.

Comentarios

Más popular

Arriba