Fronteira

CEL.SAPUCAIA FAZ PARTE DO PROGRAMA MICRORREGIÃO DE PONTA PORÁ .

Oito cidades integram nova microrregião no programa estadual de regulação.

Os municípios de Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Ponta Porã, Sete Quedas e Tacuru agora compõem a microrregião de Ponta Porã no Programa de Implementação do Complexo de Regulador em Mato Grosso do Sul. Com a adesão, a Secretaria de Estado de Saúde faz o que chama de operacionalizará os trabalhos de regulação do acesso aos serviços de saúde na região, substituindo o uso de fax, nas urgências, por um sistema informatizado e com equipes já treinadas.

Além de Ponta Porã, Campo Grande e Dourados já possuem o sistema de regulação atualizado e informatizado. De acordo com o cronograma da secretaria, o projeto de operacionalização do sistema de regulação será implantado também nas microrregiões de Três Lagoas e Paranaíba, sendo feita assim a regulação ambulatorial e hospitalar.

“Estamos seguindo a mesma lógica regional para a reestruturação da saúde em Mato Grosso do Sul. A região de Ponta Porã se tornou um pólo regional de média e alta complexidade, com isso estamos aumentando cerca de 26% de seus atendimentos e evitando o deslocamento de pacientes para outras regiões. Temos como meta aumentar ainda mais estes atendimentos e completar a ampliação do Hospital Regional”, afirmou o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), que cumpriu agenda na sexta-feira (3) em Ponta Porã.

Com a nova adesão na microrregião de Ponta Porã, a Secretaria de Estado de Saúde atuará junto aos serviços de saúde dos municípios que não tenham centrais de regulação implantadas, contribuindo para a garantia da execução do acesso a toda oferta assistencial para a população de Mato Grosso do Sul.

O termo que inclui a microrregião foi assinado ontem durante a entrega da reforma do Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, em Ponta Porã.

O governador Reinaldo Azambuja entregou 10 novos leitos de UTI, e apresentou o reaparelhamento e a adoção do novo modelo de gestão, de parceria público-privada, e as suas melhorias no atendimento do Hospital regional de Ponta Porã. Além de aumentar o atendimento, o Hospital Regional customizou a aplicação de recursos, gerando economia para o Estado.

No Hospital Regional de Ponta Porã, onde a Organização Social Gerir está atuando deste agosto de 2016, o número de consultas e atendimentos de urgência passou de cerca de dois mil em agosto, para 4.734 em dezembro, totalizando mais de 21 mil pessoas atendidas neste período.

Os avanços são de 26% a mais na capacidade de atendimento, com o custo menor no que se refere aos gastos da instituição. Anteriormente o Estado destinava cerca de R$ 2,3 milhões mensais para o Hospital Regional de Ponta Porã. Hoje, os custos são de R$ 1,9 milhão. (CGNews)

Comentarios

Más popular

Arriba